segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Neste momento?

Neste preciso momento estou a olhar o relogio, e so penso que são quase 8horas, perto das 9 era a hora que chegava a casa...

Neste momento, ou melhor desde as 4 da tarde que só penso, vai a casa não vai a casa...

Neste momento só penso que não sinto o peito, que doi respirar, que se dormisse era o melhor remédio para não sentir.

Neste momento penso, quero mesmo que venha a casa nem que seja para vir buscar as coisas dele, para ao menos olhar para ele e ver se desvendo algo no olhar...

Parva eu sei.

domingo, 26 de setembro de 2010

E cai a ficha

E é quando passa a raiva que o resto vem ao de cima.

E é quando cai a ficha que tudo acontece...

Musicas da minha vida



Nobody knows
Nobody knows but me that I sometimes cry
If I could pretend that I'm asleep
When my tears start to fall
 
Nobody likes
Nobody likes to lose their inner voice
The one I used to hear before my life
Made a choice
 
Who's gonna be there after the last angel has flown
And I've lost my way back home
I think nobody knows, no
I said nobody knows

Nobody cares
It's win or lose, not how you play the game
And the road to darkness has a way
Of always knowing my name
 
Nobody knows
Nobody knows the rhythm of my heart
The way I do when I'm lying in the dark
And the world is asleep
I think nobody knows
Nobody knows
Nobody knows but me
Me

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Outro ele**

Este é um outro ele, sim que colocar nomes aqui no blog nem pensar...

Por isso ele**:

Foi aquele que me fez sonhar de novo, que me mostrou que apaixonar-me de novo era possivel, que amar a um ponto como amei existia.
Era aquele que me defendia contra tudo e todos, que esperava o tempo que fosse preciso para que nos aceitassem, que adormecia agarrado a mim quase que com medo que eu fugisse dali, que me aparecia de surpresa ao trabalho, com quem eu tinha conversas de horas e horas, muitas delas com direito a uma directa para o trabalho.
Foi aquele a quem dei aquele beijo de filme, debaixo de chuva, aquele beijo que ao ser dado nos fez arrepiar aos dois, aquele que num simples segundo me senti dele e ele meu, em que nos tornamos um unico.
Ele era aquele que me ouvia, que olhava para mim como nunca ninguem olhou, se calhar olharam se calhar nunca dei conta, mas com ele dei.
Foi aquele que juntou um monte de musicas no mp3 e um dia chegou perto de mim e disse "ouve-as, estas são as musicas que me fazem lembrar de ti, são as tuas musicas", era aquele que quando algo acontecia era comigo que vinha ter.
Ele** era aquele que em qualquer momento que estivesse perto de mim não se cansava de me dizer amo-te ao ouvido.
Ele** era aquele sonho, aquele que fez com que eu baixasse todas as minhas barreiras, aquelas barreiras construidas ao longo de uma vida complicada!

E passado 3meses de namoro, ele foi aquele que conseguiu que ganhasse barreiras de novo, foi aquele que me mostrou que se calhar não era tão perfeito assim, foi aquele que me mostrou que toda a gente tem dois lados e foi aquele que me fez chorar.

Hoje passado 1ano ele é aquele pelo qual tenho um amor/odio...

E com ele aprendi que lutar por alguém não vale de nada, que sonhos não existem e amores perfeitos só existem em contos de fadas.
Ele é aquele que me faz acreditar que homens bons, e amores bons só existem para algumas pessoas e que eu não estou incluida nesse rol.

Um dia se calhar mudo de opinião, não sobre ele pois dele já não espero nada, mas de outro alguém que apareça.

Mas, por tempo indeterminado vou manter fechado a sete chaves o amor que tenho para dar, e la escondidinho também ficará o meu romantismo, a minha esperança, aquela esperança que ainda me leva a acreditar em sonhos.

Life goes on....

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Tanto para dizer e tão pouco tempo

1º que tudo o pai do meu ex faleceu a semana passada, não o reconheci dentro daquela caixa, magro, encovado, visão tipica de quem esteve muito doente antes de morrer.

Irritou-me profundamente a maneira como a familia dele, não a directa mas tio e alguns primos, nada que não se tenha resolvido com um alto e sonoro "não devo nada a ninguém, nesta altura só me faz falta quem cá está", e isto foi algo que aprendi com o desenrolar da minha "precoce" vida.

2º Acho que vou começar a contar aqui certas coisas da Santa da minha mãe, tal como no funeral dizer algo do tipo "pelo teu pai não choraste tu". Para quem não sabe eu não tenho grande relação com a minha mãe, fui criada pela minha avó, e convenhamos que ela nunca soube ser uma mãe à altura de qualquer filho.

3º e não menos importante... já alguém leu a ultima da Sô Dona Luciana Abreu? Acho que aquilo do bebe + "amor ri-te para te ver" and so on , está a afectar muito a miuda, alem disso daqui a nada aquilo dá filme, daqueles que uma pessoa só de ver o generico vomita... ok sempre podemos chamar o Djalo para filmar enquanto se vomita... Haja paxorra...

xoxo Gossip Patricia :P e tenho dito...

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

ELE

Ele é um homem de 54 anos, 2filhos, 1mulher que ama, 1 enteada, 1 neta, sem os demais familiares.

Ele é aquele que trabalha porque adora, mas essencialmente porque quer uma vida melhor para os seus.

Ele é aquele que foi para fora à procura de uma vida melhor, desde que o conheço que a vida dele foi isto, vai para aqui vai para ali, quando estava em casa não descansava pois o gosto dele era trabalhar e não estar ali parado.

Ele é aquele que todos os dias liga à mulher, que não se esquece de datas, que lhe manda postais por correio, que não se cansa de dizer que a ama mesmo passado 29 a 30 anos juntos.

Ele é aquele que viu sempre primeiro a familia e só depois os outros, e embora já não seja nora dele, ainda sinto uma parte minha ali porque sempre que precisavamos ele estava lá para nós.

Ele é aquele de de uma hora para a outra lhe deu um AVC, aos 54anos, deixando-o paralizado do lado esquerdo. É aquele que quando tinha esperança que tudo ia melhorar lhe deu outro AVC ainda no hospital, que o deixou com tubo de alimentação, com argália e apenas a conseguir mexer o braço direito e é aquele a quem deu o 3º AVC ontem...

Pelos vistos já não mexe nada!

O pior de tudo é que está consciente de tudo, ouve as pessoas, responde com olhares, antes com a mão que conseguia mexer, é um ser vivo dentro de um corpo quase todo ele morto.

E doi, doi ver alguém que não merece nesta situação, uma pessoa cheia de vida, tão nova assim.

Não vê a neta crescer!!!

Os filhos já não reagem, quando tem esperança esta é retirada. A mulher nunca a vi assim...

Quando o meu irmão viu o titulo do meu blog perguntou "Mas estás inconformada?" e eu digo que sim, com a vida que é injusta, que é traiçoeira. Com tudo o que se passa em minha volta tal como esta situação.

E que venha o primeiro dizer que a eutanásia não deve existir... Devia existir, devia ser lei.

E mais não digo!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Hoje

Hoje a minha cor é o roxo.... Posso dizer que adoro o meu relógio posso?
A maquineta é que não é esta da foto, a minha tem apenas as pedrinhas, sem numeros.

Miudos de hoje em dia

Cenário: Café

Miuda com os seus 13/14 anos, de corpo poderia parecer ter mais, barriga à mostra, oculos de sol na cabeça, montes e montes de pulseiras no pulso, nada de novo nos miudos de hoje.

Nariz empinado, tipico de quem quer mostrar que já é adulta, peito para a frente para se mostrar, quem olha diz que ela tem 16 pelo menos. Até aqui tudo bem...

Aqui chega a parte em que o pai diz "olha já viste quem está aqui no jornal?" ela olha e sem mais nem menos apresenta a miuda de 13anos, ou até menos, que é. Pincha, grita, enquanto diz que é o jogador x, "posso levar pai, posso?".

Sentada na mesa com o pai, ouve -se o pai chamar atenção..

"então Ana, não foi essa a educação que te dei, a pavoneares-te toda para aqueles miudos? Viste bem a idade deles? "

"está bem pai"

"Oh Ana nem parece teu, que se passa com as mulheres de hoje em dia? Aquilo é só mesmo para andar contigo e deitar fora. É isso que queres?"

"Oh pai achas mesmo??!!"

Conversa continua... aqui já não ouvi metade.

Pai paga o café e o jornal onde vinha o tal idolo e ela pega e tira 5euros do troco do pai, senhor do café "então é assim?", pai todo contente "oh não é a primeira vez que ela me faz isso, está sempre a tirar", ela mete cara de menina adulta de novo, como quem diz eu é que mando e diz ao pai que este fim de semana tem de ir às compras com ela e acabou, o pai argumenta que está de férias e praia é melhor ao que ela responde "oh pai praia não, compras e acabou", pai cala-se.

Saem do café, nisto saio eu a comentar com o gajo lá de casa aquela situação toda, das miudas de hoje em dia se armarem em adultas e não o serem até que vemos o pai a deixar a menina na mãe, e nisto a adulta volta a criança "oh pai sabes porque é que eu não os comprimento (os tais rapazes que o pai falava ao inicio), porque eles não falam sequer para mim"....

E eu questiono-me, o que se passa com estes miudos de hoje?

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Felicidade

Ontem vi uma frase de uma colega minha onde dizia "sera que a felicidade existe?"

Sim eu também já me questionei várias vezes sobre isso, sim também sou uma descrente em muita coisa, mas de uma coisa eu tenho certeza a felicidade existe e muitas pessoas se pensarem bem vêm-na em várias coisas em vários momentos.

Se não conseguirmos ver a felicidade desta forma de que nos vale estar vivos?

A felicidade para mim é:

- A minha filha.
- O dia que soube que estava grávida.
- O dia que casei, sim já me divorciei mas aquele dia foi de felicidade.
- O dia de casamento do meu irmão.
- Saber que vou ser tia.
- Olhar para a minha vida e ver que embora muita coisa esteja errada, saber que há pessoas em muito pior situação que eu.

O por do sol, o nascer do sol, o cheiro de um sitio novo, o cheiro de um livro, o cheiro a terra molhada, o sol, a chuva, um banho relaxante depois de um dia cansativo, um sorriso, um olhar...

O sorriso da minha filha....

A vida é feita destes pequenos momentos, mesmo que a nossa vida tenha muita coisa negativa temos de pensar no bom que já houve e no bom que ainda pode vir por ai.

Sou pessimista por natureza, faço muita coisa errada mas no meio de todo o azar, de tudo o que está errado, de toda a tristeza que poderá haver na minha vida uma coisa é garantida na minha vida... vou continuar a lutar e a viver porque até ao fim dos meus dias eu quero apreciar tudo o que há de bonito no mundo.

E a vida são 2dias... 1 já acabou... Aproveitem!