terça-feira, 30 de novembro de 2010

E se...

De repente, depois de superar aos poucos o que se passou, aquele outro deitasse uma bomba de "amo-te e estou arrependido de tudo", assim sem mais nem menos... ?!

E se....
E se....

E o e se não me sai da cabeça....

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sonhar com ele 3dias seguidos, relembra-me que afinal ainda não o esqueci como pensava...

Mas ao acordar em vez de dor, tenho saudades, podia ser pior certo?

Recomeço II

Foi o meu armário, foi o escritório, foi a sapateira, tudo organizado e bonito (para a miuda ir lá e tirar tudo do sitio mas pronto), fica a faltar a cozinha, e a sala.

4 a 5 sacos de coisas minhas para dar.

E dele afinal ainda tinha muita coisa.

E muito ainda falta!

sábado, 27 de novembro de 2010

Recomeço parte I

Aquela roupa todo dentro do armário que não me serve vai embora, 1º porque não serve, 2º porque quando servir, se servir algum dia, já estará fora de moda lol.

1ª tarefa, organizar o armário!! :D

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ontem tive de pegar em mim e tirar-me de dentro de casa.
Ando numa fase bipolar, hoje estou bem, amanhã mal, há 1 hora ria-me, 1 hora depois sentia o peito rebentar.

A vontade do que quer que seja é nula, o sono não me larga, se calhar porque esta dor no peito me esgota o resto do corpo.
Mas ontem, ontem chegou a um ponto tal que não aguentava mais.

A simples birra da minha filha estava a fazer-me latejar cada pedaço de mim, ao ponto de pensar que ou cortava os pulsos ou saia porta fora para respirar.

Claro que ela não tem culpa de nada disto e para ela ver a mãe assim deve ser algo que a confunde, que não entende. E como ela é uma criança com muita vida, que requer muita atenção,  quando lhe falta essa atenção faz birras de meia noite. Mas a verdade é que as minhas forças neste momento não dão para muita coisa, doi-me cada pedaço do corpo, queria era ter silencio à minha volta, um momento de paz, de estado zen, que me deixasse pensar em tudo, respirar algumas vezes e pronto, estaria pronta para mais um dia.

Mas tenho responsabilidades que não me largam, e está dificil gerir os sentimentos que tenho, a vontade assim como todas as responsabilidades.

E todos me dizem "tens uma filha" e eu digo que sim tenho, e me sinto culpada pela falta de tempo que tenho para ela, porque para além da minha filha tenho uma casa para pagar sozinha, contas, 2trabalhos, uma responsabilidade às costas que não estou a conseguir gerir sozinha, porque a minha mente neste momento não me deixa ter capacidade disto tudo.

E acaba por ser um ciclo vicioso, todos os dias tenho de acordar, aturar mais uma birra, fazer pequenos almoços, dar mais dois berros de "come", "calça-te", "anda pentear", enquanto penso que já estou atrasada, nem sempre por culpa dela mas sim minha que devia acordar mais cedo, mascomo acordar mais cedo se nem o despertador tenho ouvido?

E depois é um correr para levá-la ao infantário, com mais um stress de "poe o cinto" e ela teima que não põe. Enquanto penso no infantário penso que já estou atrasada, que à noite ainda tenho de ir ao supermercado, que tenho alguma encomenda para despachar, e que não sei que fazer de jantar porque ela não come quase de nada e fazer comer para deitar fora custa-me.

E o dia passa, 9 horas de trabalho, que me dá cabo da mente não do corpo, quando de lá saio lá corro eu para ir buscar ao infantário, e se for dia de piscina toca de correr porque sair às 5.15 e ter de estar na piscina às 6 só mesmo a correr. E se não há piscina há outras coisas. E no entretanto penso, quando poderei limpar a casa? e dar aquela roupa toda a ferro?

Pois e é nestes momentos que gostava de ser invencivel mas não o sou, e recrimino-me por não ser aquele ser perfeito que queria ser. E é nessas alturas que caio, e sufoco, e penso que não fui feita para esta vida e que pela primeira vez me estou a dar por vencida, porque infelizmente as minhas forças esgotaram-se, ou melhor acabei por me esgotar a mim mesma.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Ante ontem choradeira pegada, ontem um alivio, hoje já me ri à gargalhada, andei bem, até que chego a esta hora e percebo que esta dor no peito não me sai desde sexta.

E ao aperceber-me disso volto à choradeira pegada...

Há de passar e vai passar.... Podia era ser mais rapido e sem bipolaridades.

E sem pensar que amanhã vou acordar e tudo isto nao passou de um pesadelo.

Também ajudou o ele dizer que quer ser meu amigo e eu acabar por ver que na verdade ele nunca quis nem quer ser meu amigo. Tanto que ele preferiu faltar aos anos do primo de 10 anos do que me encarar.

Coisas da vida.

Agora a vida continua, sem ele é certo mas com outras pessoas que não me deixaram mal neste momento complicado.

Ando a conhecer gente nova a tentar mudar um pouco o que era e ainda sou.

Vai passar, demora mas passa.....

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Doer

Há dores pelo qual não deviamos ter de passar. Eu já me tinha esquecido o quanto doi perder alguém que se ama, mas perdi, e doi, e a doer é tanta que remoi, destroi, mata lentamente.

Sei que um dia vai passar, mas neste momento e como me sinto.

NEstes dias tenho chorado por tudo. Começou por uma decepção amorosa que me levou a chorar por tudo e nada.

Porque o meu pai morreu e tenho saudades dele, porque sei que neste momento iria ouvir algo do tipo "és bonita, tens uma vida à frente deixa de ser assim" mas sei que no fundo o que ele queria e quer é que seja feliz. Mas teno saudades dessas frases que eu nunca seguia à risca, mas que era bom saber que ele estava ali.

Da minha avó que me dava colo sempre que precisava porque era a quem recorria em alturas como estas. E as saudades que tenho dela. De ouvir "sabes um dia tudo melhora" ou apenas me deitar juntinho a ela e chorar sem um ai vindo dela apenas um braço em minha volta.

Porque nestes dois anos é só azares atras de azares, porque me dicorciei, porque a minha avo morreu logo a seguir, porque tive 2 acidentes de carro, porque nunca tive o apoio daquela pessoa por quem me apaixonei, depois morre o meu pai, o meu irmao tem um acidente, perco um sobrinho/a e no fim a minha relaçao acaba. E é o fim desta relação que me faz chorar por isto tudo.

E eu que tinha a mania que era forte e não chorava...

Voila afinal sou tão fraca como qualquer outro ser humano.

Dou demais de mim, esgoto me a mim mesma.

E amanha faz um ano que perdi o meu pai.... um ano que ouvi o meu irmao em altos berros e choro ao telefone. Lembro me de não acreditar no que ele estava a dizer, e depois pensar que nao podia chorar, e so pensava no meu irmao, como estaria q so queria era estar com ele.

Lembro me como se fosse hoje. Cada palavra, cada minuto....

E hoje sinto me pequenina em todos os aspectos.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O meu avô paterno

O meu avô paterno sempre foi muito "azedo" por assim dizer.
Eu como estava habituada a uma avó materna super meiga, a ideia de ir todos os domingos para o meu avô era péssima, mal via o domingo chegar já toda eu tremia.

Não que ele alguma vez me batesse, mas a maneira dele falar, de reagir, assustava-me.
Muitas vezes queriamos brincar e ele não deixava mexer em nada. Se eu levava ténis, era porque parecia um rapaz e devia ter sapatos para ser uma mulherzinha. Se algo não corresse à sua feição era um problema.
E pior de tudo havia defeitos em tudo o que os filhos ou netos faziam.

Quando casei fugir os domingos foi das melhores coisas, claro que o ficar em casa no choco era muito melhor que ir apanhar frio ou chuva, e ter de ouvir algum defeito à minha vida ou maneira de ser ou estar.

Mas este mesmo avô, este domingo passado que fomos festejar os anos dele e da minha avó, mostrou uma faceta desconhecida para mim.
Muito amigo da minha avó, a abraça-la, a falar conosco, a rir-se. Foi dos melhores domingos passados com ele.
Contou-nos a história da vida dele, mostrou um amor pela minha avó que eu sempre duvidei que tivesse. Não meteu defeitos a nada, divertiu-se. E eu que pensava que ele me ia fazer perguntas sobre o fim da minha relação, visto ele ter sempre algo a apontar a verdade é que não fez.

Numa outra altura ele dir-me-ia "pois nem os namorados sabem escolher, se acabaram melhor é para não te meteres nisso de novo" ou algo por ai.
Mas desta vez não, lançou a frase "então agora estás sozinha?", mas muito baixo, muito calmo, e eu já a pensar "ok diz lá o que tens a dizer", mas não disse, quando eu respondi "sim estou", ele apenas disse "vá melhores dias virão, vais encontrar alguém melhor"....

Fiquei de queixo caido, e acho que ainda estou.

Sei que ele mudou muito depois da morte do meu pai, 2º filho que perde em 10anos. Sei que envelheceu uns bons anos por essa mesma razão mas nunca pensei que tivesse mudado a este ponto.

E ele sim fez-me ver que as pessoas mudam, pode demorar anos, mas mudam!!

Gostei deste avô. Que em vez de me condenar por lá não ir apenas me disse "vê se apareces, sei que agora trabalhas muito mas aparece".

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Descobri a musica certa...

Às vezes, no silêncio da noite
Eu fico imaginando nós dois
Eu fico ali sonhando acordado, juntando
o antes, o agora e o depois
por que você me deixa tão solto?
por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!

Não sou nem quero ser o seu dono
É que um carinho às vezes cai bem
Eu tenho meus desejos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém
por que você me esquece e some?
e se eu me interessar por alguém?
e se ela, de repente, me ganha?

Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?

Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida
fala que me ama
só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura
onde está você agora?

Rotundas

Irrita-me solenemente gente que não sabe conduzir, principalmente nas rotundas.
Todos os dias de manhã apanho um azelha qualquer que decide fazer a rotunda como quer e ainda se acha cheio de razão se me meto feita maluca à frente dele só para lhe mostrar que está a fazer asneira.
Quando digo ele digo ela! Sim que para mim tanto há azelhas na estrada homens como mulheres.

No outro dia fiz a rotunda como devia, vem uma maluca qualquer que quase me bate, eu como maluca e meia fiz lhe uma rasante, devia-se ver como ela ficou, perseguiu-me, buzinou, colou o carro ao meu ainda cheia de razão.

Aqui fica em cima uma foto de como fazer rotundas, sim minha gente aprendam que não é todos os dias que ensino algo.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Botas


Imagem retirada de: http://mini-saia.blogs.sapo.pt/

Ontem comprei umas botas lindas que só elas (pelo menos para mim), parecidas com as da imagem acima, nº2, o tacão é mais grosso e mais alto.

Adorei mal as vi mas tem um senão, um tacão, e para quem só usa ténis é complicado adorar algo com o qual não consegue andar.

Calcei-as e achei-as confortaveis, não resisti e trouxe-as comigo.

Hoje decidi levá-las para o trabalho pois por lá ando pouco, mas dentro de um saco levei os ténis, não fosse o diabo tecê-las (risos).

A verdade é que me dei bem com elas, claro que os pés já estavam doridos e com algumas caimbras, mas nada comparado com as sandálias que levei ao casamento do meu irmão, isso sim foi um filme, e as dores que tive???! Nem é bom lembrar!!!

Acho que as dores maiores neste momento se devem às botas terem alargado, ou seja eu calço 38.5 (ténis), como normalmente nos sapatos se calça sempre mais comprei um 39, mas enganei-me redondamente devia ter comprado o 38.
Sim experimentei-as lá na loja e estavam bem, a unica resposta que vejo a isso é elas terem alargado com o andar.
Como estão grandes ao andar o pé sai-me da bota o que me leva a "segurar" melhor os pés lá dentro, chega a um ponto que doi como é logico.

Mas casmurra como sou, na próxima vez que andar com elas vou calçar umas meias mais grossas, ou então vou comprar umas palmilhas, sim que eu adorei as botas e estas são para usar e abusar até gastar a sola!!!

sábado, 6 de novembro de 2010

Aaaaiiii #1


Nunca lhe achei grande piada... muito puto, muito marado, sem grande coisa de se ver.
Mas confesso que me surpreendeu como ele está actualmente, com cara de homem, menos puto, com um pouco de charme, não sei...

Agradou-me!! E por mudar a minha opinião ele será o meu primeiro suspiro lol.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Vamos

lá mudar um pouco o rumo a isto, sim que até eu já começo a ficar farta de mim mesma.

Sim estou a sofrer, sim doi demais, sim as noites ainda me custam horrores, e é à noite que faço as maiores parvoices como rebaixar-me e ligar para ele ou mandar sms.

Mas...

Comecei uma dieta, feita por uma nutricionista.
Descobri que como muito pouco, dai o meu metabolismo estar lento e não perder peso.

Confesso que o que ela passou às vezes me custa comer, pois é tanta comida em tão poucas horas, ainda não tenho fome e já tenho de comer.

A verdade é que o transito intestinal melhorou, dia 25 tenho nova consulta vamos lá ver no que dá.

Tenho errado em algumas coisas, como não conseguir beber o 1.5lt de água, por vezes não jantar à noite, e esquecer-me de comer o iogurte antes de deitar, mas estou confiante que o resto vai compensar.

A partir de hoje vou ver se venho aqui mais vezes (quantas vezes já disse isto?). A ideia é tentar organizar-me, algo que tem sido extremamente dificil.

A ver vamos.