sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Quedas

Mais uma, mais um retirar de tapete de debaixo dos pés, mais meia duzia de sonhos desfeitos...

Cansada é só o que digo!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Coisas minhas

Se há coisa que me deixa mesmo fora do sério é que me ignorem, eu falar ou enviar sms e do outro lado não responderem sequer e fazerem de conta que eu não disse nada.

Se há coisa que me magoa e remoi as entranhas é me dizerem "amanhã estou contigo" e no dia de repente terem mil e uma razões (inventadas porque quando se quer está-se) para não aparecerem, principalmente quando eu mexo meio mundo para estar quando querem que esteja.

E hoje é isto, estou com um feitio lixado e com uma dor de cabeça enorme!

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Eu digo: Para a semana (também é valido para um simples amanhã) vamos fazer X?

Ele diz: Ainda falta uma semana (ou amanhã, ainda é cedo), na altura vemos pode ser?

Eu gosto de coisas definidas, de coisas marcadas, mesmo que corram mal ou o plano saia furado consigo ser bem capaz de aceitar a situação em si.

Ele tem medo do amanhã, porque sai sempre tudo furado e pode evitar-se o "não dá". E marca tudo em cima da hora.

E sim um dia vai querer mesmo algo e vai ser tarde por querer tudo em cima do acontecimento, além de que não ganha capacidade de aceitar as peripécias da vida, os nãos que elas nos dá...

E vejo que cresci quando começo a aceitar a pessoa que está comigo pelo que é e não pelo que gostava que fosse, uns dias cedo eu, outros cede ele, para já está a correr bem, espero que continue assim.

Ignorancia #1

Assim de repente lembrei-me de uma situação há uns anos atrás.
A ignorância dos "antigos" em certos campos batia o ridiculo, a cada passo que me lembre de algum assunto desses colocarei aqui.

E a primeira vai para os meus pais.
Uma altura a minha mãe apanhou uma valente carga de herpes labial, andava com a boca cheia de feridas e não sabia o que era, eu na minha verdadeira capacidade disse na boa "isso é herpes", tinha eu 16 anos se calhar.
Levei a valente da bofetada (tipico), lembro-me que chegou a fazer queixa ao meu pai das coisas que eu andava a dizer, lembro-me de mais um sermão vindo do meu pai, de onde tinha eu tirado aquela ideia visto herpes só existir na zona vaginal, blá, blá... se estava a insinuar coisas e afins (triste mesmo), até que eu já farta daquilo apenas disse "ok, não é, então vai à farmácia mostra isso e ele passam-te medicação".

E ela lá foi, quando chegou até gaguejava "olha é herpes... hum... pois... não sabia que havia na boca... mas de que é isto... de onde vem...." e eu apenas me mantive calada com sorriso de vitória no rosto. No dia seguinte lá lhe expliquei o que tinha lido sobre o assunto.

O pedido de desculpas pela bofetada nunca houve... nada que eu não soubesse também, aquela casa não primoreava pelo bom senso.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Constipação

Tenho uma que não mata mas está a moer muitooo... tanto que a vontade é ir directa, mas já já para a cama.

E as 16.30 que não chegam, e ainda tenho reunião na escola da piolha!

Astros

Dizem os astros, coisa que não acredito muito, mas quando se quer uma mudança boa na vida lemos tudo ao nosso alcance, dizem eles que em 2012:

Os Virgens têm um 2012 de mudança e de renascimento. Para estes nativos, os últimos anos foram de dificuldades, de restrições e de obrigações, mas anuncia-se o fim desse período. (já era hora)
A razão e a crítica em excesso poderão dificultar a tomada de decisões importantes a longo prazo, daí que deve “pensar” mais com o coração e menos com a razão, pois terá a tendência para racionalizar as suas emoções. 

Como ninguém foge à vida, nem ao que está escrito no céu, Plutão na casa V, a dos amores e dos prazeres, vai trazer até estes nativos oportunidades de viverem o amor em toda a sua plenitude. 

Um novo apelo irá surgir a estes nativos. Será um apelo espiritual, um chamamento para a aprendizagem e conhecimento de assuntos metafísicos, pois já perceberem nos últimos anos, que a vida não se controla e que existe algo superior. 

Os Virgens terão bons motivos para sorrir, pois têm um ano de renascimento e renovação de vida, que há muito esperavam. O momento está a chegar. Assim deverão aproveitar as oportunidades da vida e serem mais felizes


Agora é fazer figas e acreditar piamente nestas sabias palavras... !!!

Crescer ou apenas mudar

Não sei como caracterizar isto a não ser que quando gosto de alguém gosto pelo que a pessoa é e não pela beleza dela, cada vez sou mais selectiva isso é verdade, cada vez dou mais importancia aos pormenores e não à beleza fisica da pessoa.
Claro que se for alguém obeso, ou desdentado, daquelas coisas que dá para perder o encanto no primeiro encontro claro que também me afecta, embora eu dê mais importancia ao interior da pessoa também tenho aquela estupidez de toda a gente, o primeiro impacto sim conta, e que venha o primeiro dizer que não conta.

Mas posso dizer que os namorados que tive nunca foram de uma beleza por ai além, aliás a minha grande paixão, aquele amor que um dia disse ser para sempre não tinha mesmo nada de bonito, mas passando à frente.

Sempre detestei homens peludos, vai se lá entender, olhava para aquele monte de pelos e fazia-me confusão, cheguei ao ponto de pegar com o meu irmão por ele ser assim. Pêlos sim, mas "tapetes" nem pensar.
Como se costuma dizer, "cospe para o ar e cai-te em cima".

E caiu mesmo em cima, quando comecei a sair com o lifegajo gostei dele pelo que ele é e não pela imagem dele.
Houve algo que me cativou nele logo nas primeiras conversas, a forma como falava do filho, a calma da voz dele, a forma de ver a vida, a forma de falar, os ideais dele fizeram-me querer conhecer mais, querer saber mais.
Depois veio outras coisas importantes, a tal pessoa selectiva que me tornei começou a tentar arranjar defeitos  para não se deixar envolver.
Era tiro e queda, arranjava algo que não gostava para o meu futuro e fugia logo daquilo a sete pés, mas com ele isso não aconteceu, encontrei apenas um defeito, um erro que cometeu e como erros todos cometemos não levei aquilo para algo suficiente para fugir dele.
Conforme o fui conhecendo, conforme me fui envolvendo, algo cresceu, contra a vontade dele é certo mas cresceu.
O resto é para ir desenvolvendo um dia.

Voltando ao titulo do post e sobre o cuspir para o ar, o lifegajo é peludo, ok não tanto como o meu irmão mas tem tapete, e o engraçado é que não dei importancia. E agora ele diz que tira e tal, mas eu não quero, faz mais confusão a ele que a mim.
Tal como a barba, homens de barba nunca me disseram muito e adoro vê-lo de barba.

É daquelas coisas que não se entende, ou cresci e deixei de ligar a certas coisas ou apenas mudei...

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Se, se, se

A vida é feita de ses, e embora toda a gente diga, e com a idade acabamos por aprender isso, que devemos aproveitar o momento em vez de pensar em ses, a verdade é que acabamos por pensar neles, naqueles momentos mais sossegados, naqueles momentos de silencio com nós mesmos, damos por nós a pensar... "e se..."

E eu ando numa luta com isso, desfruto do momento, absorvo cada segundo de felicidade, reparo em cada ínfimo pormenor e retenho cada expressão, cada momento, e quando chegam os ses, aqueles malditos fantasmas, aqueles medos porque até hoje quase nada correu bem, dou por mim a abanar a cabeça como se isso fosse apagar os medos e apenas penso "sou feliz neste preciso momento" e é só isso que me importa.

O amanhã é outro dia, que espero que seja igual ao de hoje ou melhor ainda, e se não for melhor que me dê um pouco da quietude que tive este fim de semana, quietude que já não sentia há uns valentes meses.

Sim os medos continuam cá, e hão de continuar, mas não vão ser eles que me vão afastar deste sentimento.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Paranóias

Há pessoas que quando algo corre mal a 1ª vez na 2ª que tentam não contam a ninguém para ver se ninguém agoira, para ver se a inveja alheia (por vezes fruto da imaginação ou do medo) não provoca mais uma desilusão.

E eu dou por mim assim, caladinha a contar aos essenciais, sem grande espalhafato embora a vontade até seja gritar aos 4 ventos. Dou por mim a pensar que se contar algo vai correr mal como sempre corre.

Sim eu sei que é panca... mas não vá o diabo tecê-las, é melhor deixar estar até ter passado um bom espaço de tempo...

Rir é preciso

E porque nem tudo é mau na vida, ontem tive oportunidade de reviver as minhas antigas horas de almoço.
Um colega de trabalho em que eu e ele juntos dá asneira...

Foi rir até doer a barriga, foi lágrimas por não pararmos de rir, foi pôr de novo toda a gente da cantina a olhar para nós!!

E a vida é isto, pequenos momentos de felicidade!!!

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Base

Façam-me um favor, quando decidirem por base na cara escolham uma base da cor da vossa pele, e espalhem-na uniformemente, desde o couro cabeludo até ao pescoço.

Acreditem que não fica bonito ver uma cara às manchas brancas e acastanhadas...

Musica

You Got Me

You're stuck on me and my laughing eyes
I can't pretend though I try to hide - I like you
I like you.

I think I felt my heart skip a beat
I'm standing here and I can hardly breathe - you got me
You got me.

The way you take my hand is just so sweet
And that crooked smile of yours it knocks me off my feet

Oh, I just can't get enough
How much do I need to fill me up.
It feels so good it must be love
It's everything that I've been dreaming of.
I give up. I give in. I let go. Lets begin.
Cuz no matter what I do,
Oh (oh) my heart is filled with you.

I can't imagine what it'd be like
Livin each day in this life - without you.
Without you.
One look from you I know you understand
This mess we're in you know is just so out of hand.

Oh, I just cant get enough
How much do I need to fill me up
It feels so good it must be love
Its everything that I've been dreaming of.
I give up. I give in. I let go. Lets begin.
Cuz no matter what I do,
Oh (oh) my heart is filled with you.

I know we'll always feel this way (I know we will)
And in my heart I know you'll always stay

Oh, I just cant get enough
How much do I need to fill me up
It feels so good it must be love

I give up. I give in. I let go. Lets begin.
Cuz no matter what I do,
Oh, I just cant get enough
How much do I need to fill me up
It feels so good it must be love
(Its everything that I've been dreaming of.)

I give up. I give in. I let go. Lets begin.
Cuz no matter what I do,
Oh (oh) my heart is filled with you.

Oh (oh)
You got me. You got me.
Oh (oh)
Oh (oh)
You got me. You got me.

12/12/2011


Sim é uma boa data, confirmada pelos dois.

Entre várias datas que foram importantes, esta era a que tinha mais lógica de ser, foi a unica altura que demos um passo na mesma direcção.
O futuro é incerto, os medos são muitos, por isso não vou deitar foguetes antes da festa, apenas quis marcar o dia no meu cantinho, porque no coração e mente já está marcada para todo o sempre, esta data como muitas outras.

Imagem: I can read

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Quem?

Liga-me a prima dele toda feliz da vida e atira com um "olá primaça!!!!"

Eu: Como? Repete lá!
Ela: Oh... queres ver que já meti os pés pelas mãos!! Vocês não estão a tentar de novo? Ele veio ontem todo feliz dizer-me que desta era de vez... não é?!
Eu: Então sabes mais que eu porque a mim ele não me disse nada definido, falou em tentar de novo, veio ao meu encontro mas...

E eu pergunto-me... porque carga de água vai ele dizer à familia coisas que me devia dizer a mim? Mas quem é que precisa de saber as intenções dele? A mãe e a prima ou eu?

Gajos pá!!!!

Com a crise procura-se dinheiro em todo o lado

Eu adoro ler o arrumadinho, o rapaz além de fuofo escreve muito bem, há textos que adoro ler, há textos que ao lê-los me revejo em cada palavra, mas... (engraçado que há sempre um mas...) podia dar-lhe para pior do que fazer um workshop para as mulheres encontrarem o principe encantado!

E os temas do workshop? É que aquilo só visto mesmo porque ao ler até custa a crer que é verdade.
Desde quando uma mulher precisa de tanta coisa para arranjar um homem? Onde anda a teoria de se gostar das pessoas pelo que elas são?
Acho que hoje em dia isto anda tudo muito generalizado, a mulher tem de ser um ser perfeito (impossivel), se não for está condenada a ser infeliz a vida toda com o sapo que encontrou perdido no caminho, porque as perfeitas já estavam todas ocupadas...

A mulher tem de ser gira, boa, sem celulite, culta, ler livros, ser interessante, de preferencia que saiba cozinhar, limpar a casa, ir às compras e tratar dos filhos.... E mesmo depois de ter os filhos tem de continuar boa, e magra, sem pneus!
Será que só eu é que olho para um gajo e vejo o outro lado dele? Aquele que importa?

Não sei onde este mundo vai parar....

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Novidades


68.7kg ou seja menos 9.7kg que há uns meses atrás. Mais ao menos 5meses atrás.
Podia dizer que me tenho esmerado na alimentação, podia dizer que tenho feito um monte de ginástica mas não.
Comecei a emagrecer quando acalmei a minha vida, entretanto comecei a fazer caminhadas e a correr mas muito espaçadamente, nada doentio, a comida evito algumas coisas mas nada que já não fizesse antes, acho que o segredo está mesmo em não estar obcecada com o peso, tanto que até me esqueço de pesar semanalmente como fazia antigamente.

O meu objectivo são os 54kg, ou seja ainda me faltam 14kg mais ao menos, mas também não tenho pressas, desde que não engorde fico feliz!

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Musica (vicio)

Quando adoro uma musica ouço-a até à exaustão...


A Thousand Years

Christina Perri

Heart beats fast
Colors and promises
How to be brave
How can I love when I'm afraid to fall
But watching you stand alone
All of my doubt suddenly goes away somehow
One step closer
I have died everyday waiting for you
Darling don't be afraid I have loved you
For a thousand years
I'll love you for a thousand more
Time stands still
Beauty in all she is
I will be brave
I will not let anything take away
What's standing in front of me
Every breath
Every hour has come to this
One step closer
I have died everyday waiting for you
Darling don't be afraid I have loved you
For a thousand years
I'll love you for a thousand more
And all along I believed I would find you
Time has brought your heart to me
I have loved you for a thousand years
I love you for a thousand more
One step closer
One step closer
I have died everyday waiting for you
Darling don't be afraid I have loved you
For a thousand years
I'll love you for a thousand more
And all along I believed I would find you
Time has brought your heart to me
I have loved you for a thousand years
I'll love you for a thousand more

Não...

... não vou voltar para o que tinha com ele apenas porque ele me diz que me queria dizer algo na quinta e o magoei.
Muito menos quando me diz que se calhar perdi uma oportunidade nessa mesma quinta, quando eu digo que ele é que a perdeu, e visto ter sido eu a dar o ultimo passo há umas semanas, seria a vez dele de dar o passo agora.
E eu mesma lhe disse que, se ele algum dia quiser algo terá de ser ele a vir ter comigo, por mim, e não porque a vida não lhe sorriu como ele queria.
A unica certeza que tenho é de um não, porque me cansei de na minha vida ter sido sempre a 2ª escolha de alguém, e porque me cansei de amores pela metade.
Se vier ter comigo terá de ser pelo que eu sou, pela falta que poderá sentir ou por descobrir que tinhamos mesmo ali algo.
Se vier ter comigo terá de ser porque perdeu os medos que diz ter, será porque decidiu abrir o coração dele a novas oportunidades e a um novo futuro, porque só assim será por completo.

Mesmo custando, será não. Mesmo estando perto dele e a vontade seja de sim, a resposta será não. E embora erre em muita coisa na vida, quando digo não é mesmo não...

Mas confesso que achei piada quando se descaiu no meio de uma conversa com algo como "digamos que gosto de tratar do que é meu!".

"mas desde quando é que eu sou tua?"

E sim continua a ser não... não vivo nem tomo decisões por palavras....

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Márcia com JP Simões - A PELE QUE HÁ EM MIM

http://videos.sapo.pt/PMrTRyuv7tQJ92IirEmz


Letra da Música A pele que há em mim de Márcia & JP Simões:

Quando o dia entardeceu
E o teu corpo tocou
Num recanto do meu
Uma dança acordou
E o sol apareceu
De gigante ficou
Num instante apagou
O sereno do céu
E a calma a aguardar lugar em mim
O desejo a contar segundo o fim.
Foi num ar que te deu
E o teu canto mudou
E o teu corpo do meu
Uma trança arrancou
O sangue arrefeceu
E o meu pé aterrou
Minha voz sussurrou
O meu sonho morreu
Dá-me o mar, o meu rio, minha calçada.
Dá-me o quarto vazio da minha casa
Vou deixar-te no fio da tua fala.
Sobre a pele que há em mim
Tu não sabes nada.
Quando o amor se acabou
E o meu corpo esqueceu o caminho onde andou
Nos recantos do teu
E o luar se apagou
E a noite emudeceu
O frio fundo do céu
Foi descendo e ficou

Mas a mágoa não mora mais em mim
Já passou, desgastei, p’ra lá do fim
É preciso partir
É o preço do amor
P’ra voltar a viver
Já nem sinto o sabor
A suor e pavor
Do teu colo a ferver
Do teu sangue de flor
Já não quero saber…

Dá-me o mar, o meu rio, a minha estrada,
O meu barco vazio na madrugada
Vou-te deixar-te no frio da tua fala
Na vertigem da voz quando enfim se cala.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

O que te queria dizer

e não posso.

Sinto saudades tuas, do abraço, do encostar no peito, do beijo, do arrepio, do calor.
Sinto saudades do teu sorriso, daquela gargalhada unica que ainda hoje se quiser consigo ouvi-la na minha mente.
Sinto saudades de tudo e nada.
Mas tu estás longe, não em distancia mas em sentimentos e eu gostava tanto que tudo fosse diferente.
Gostava de ter oportunidade de construir algo, algo nosso.
Relembro alguns momentos que passamos e que queria ter de volta, queria disso todos os dias... a guerra de almofadas com os miudos, num dia mau que se tornou feliz, onde me senti bem, onde parei por segundos apenas a admirar-vos, o querer disso todos os dias, o sentir que ali era o meu lugar, mesmo sabendo que iria haver dias maus. As gargalhadas dos 4 encheram-me o coração, mais do que devia encher visto o teu coração não me pertencer.
O cinema a 4, as gargalhadas deles, as nossas caras de felicidade por ve-los brincar...
Conseguiste dar-me mesmo que por momentos o que desejo na vida, e foi isso que me agarrou a ti, que me agarrou a acreditar que seriamos capazes de ter o que ambos queremos para a vida.
Não fosse a vida injusta e tu ainda estares agarrado a um passado que já não te pertence.
E apenas um de nós querer um futuro diferente não funciona, por isso tenho de te libertar e tenho de esquecer o que poderia ter e não posso ter.
E então fico aqui apenas a escrever o que desejava dizer-te e não posso dizer, a sentir saudades do teu beijo e do teu abraço, até que um dia a vida seja justa para comigo e me traga o que tanto desejo e procuro!
Já estive mais longe, todos os dias é mais um passo na conquista de algo chamado vida! Um dia terei... porque se a felicidade não é eterna o azar também não o é.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Fruto proibido

A ausencia de alguém, o não poder estar com esse alguém faz-me lembrar algo como, só temos sede quando não há água.

É um pouco como me sinto hoje, como não posso falar com ele (não porque não possa, mas porque não quero) é quando sinto mais necessidade de o fazer.
Faz-me falta a conversa, faz-me falta o falar de tudo, faz-me falta saber que tinha ali aquela pessoa mesmo sendo para uma amizade.
Para uma amizade sei que ainda o tenho, mas a mim custa-me uma amizade com quem aprendi a gostar.
Custa-me saber que iria ter de o ver seguir a vida dele enquanto eu ainda penso nele.

E custa-me ainda mais ver que tinhamos muito para dar certo... Daquelas pequenas oportunidades da vida, onde aprendemos a gostar de alguém pelo que é e não porque nos apaixonamos e pronto, e por vezes pela pessoa errada.
E custa-me mais ainda não dar certo por ele estar preso ao passado, por ter medos, por estar confuso...

E a minha vontade é dizer-lhe como é a vida, e faze-lo abrir os olhos à realidade, mas meti na cabeça que não sou eu que lhe tenho de mostrar o que quer que seja... terá de ser ele a entender a vida, a ver como as coisas são... pois se um dia ele voltar sei que voltará por mim e não por outra coisa qualquer.

E dou por mim a desejar que volte, que perceba o que quer.
Até lá vou-me mantendo assim... a tentar segurar-me como já fiz em tempos, noutras situações.

Choradeiras

Já não me lembrava de chorar tantas horas seguidas, já não me lembrava como era acordar cheia de dores de cabeça e com os olhos tão inchados que mal os abro.
Com a vida aprendemos muita coisa, uma delas é sofrer cada vez menos pelas pessoas que gostamos ou aprendemos a gostar.
A dor não é tão forte como um dia foi por outras pessoas, se calhar pelo tempo de duração, se calhar porque ganhamos calo e sentimos menos, se calhar porque ficamos mais frios!
Vamos ver como correm os proximos dias!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Divorcios

Hoje em dia ouve-se falar de divorcio como quem fala de tremoços.
Diz-se vou-me divorciar como quem dá um espirro.
Comparações estranhas eu sei, mas a realidade dos dias de hoje é mesmo esta.
E eu tenho visto tanta gente a divorciar-se ultimamente, cada passo ouço ou leio alguém a dizer "vou-me divorciar" como que diz "olha vou ali assinar um papel e já volto".
Isto assusta-me, assusta-me a ideia de já quase ninguém acreditar no amor!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Amor

Gosto de saber que ainda existem amores verdadeiros, gosto de saber porque assim poderei ainda agarrar-me aos meus sonhos de princesas e principes, mesmo vendo tudo muito negro à minha volta no que toca a esse tema.
É bom ver alguém que não tem medo de amar, que não tem medo de dizer que ama, não tem medo de chorar.

Li num blog a crónica do Miguel Esteves Cardoso, escrita ante-ontem no publico, e repasso-a para aqui.


"Quando sair este jornal, a Maria João e eu estaremos a caminho do IPO de Lisboa, à porta do qual compraremos o PÚBLICO de hoje. Hoje ela será internada e hoje à noite, desde o mês de Setembro do ano passado, será a primeira vez que dormiremos sem ser juntos.

  O meu plano é que, quando me expulsarem do IPO, ela se lembre de ir ler o PÚBLICO... e leia esta crónica a dizer que já estou cheio de saudades dela. É a melhor maneira que tenho de estar perto dela, quando não me deixam estar. Mesmo ficando num hotel a 30 passos dela, dói-me de muito mais longe.
...

Eu estou aqui ao pé de ti. Como tu estás ao pé de mim. Chorar em público é como pedir que nada de mau nos aconteça. É uma sorte. É o contrário do luto. Volta para mim."

E a eles dois desejo o melhor mesmo não os conhecendo, e espero mesmo que a Maria João volte para ele! 
  

Bacoradas/Calinadas #3

"Concéncia limpa"


Já vos disse que gosto do sitio onde trabalho? lol

Coisas minhas #1

De há 1ano para cá que ando mais contida, mais calada e metida no meu mundo.
A separação que tive nessa altura tornou-me um pouco mais fria e distante, mais tarde uma colega se chatear com uma brincadeira minha ainda me fez calar mais.
Mas confesso que tenho saudades dos tempos em que eu e um colega meu éramos a festa da mesa na hora do almoço, riamos ao ponto de doer a barriga.
Aqui no escritório a cada passo ainda mandava a minha boquinha, mas nada comparado com antigamente.
Hoje como não estou no meu mundo (falta-me ligar a musica, e colocar os phones), decidi mandar a minha facadinha a uma conversa que por aqui havia...

E é bom ouvir alguém dizer "oh A. até pensei em ti, estava naquela de - ela agora não diz das suas - anda muito caladinha".
E pronto deu para rir pela parvoíce que disse e pôs todos a rir.

E para rematar, o tal colega da hora do almoço agora diz-me "tenho um baú no cérebro chamado A., não queiras saber o que está lá dentro"
Private joke!

Pequenas coisas que nos ajudam no dia-a-dia.

Medo, muito medo...

VIP.pt:. Nacional : SARA BARRADAS e JOSÉ RAPOSO casam-se em segredo



E básicamente é isso... acho que não há muito a dizer!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Corpete e as suas complicações


Aqui a menina comprou uma lingeria toda fofis, que tem um corpete e saia.
Mal aquilo chegou a minha casa eu toda contente lá o fui experimentar...

Como se vê nesta foto (apenas exemplo) os cordões apertam-se nas costas, ou seja... é praticamente impossível apertar aquilo sozinha.
Por acaso aqui a menina ainda não tem namorado para fazer a surpresa de lhe aparecer naquele estado, mas se tivesse bem estava feita porque não lhe podia pedir que fosse ele a apertar não é...

Tenho mesmo de descobrir algum truque de como apertar aquilo sem ajuda de ninguém!!!


Fotos originais


Retirado de: http://tapasnalingua.blogspot.com/2011/11/posicao-da-foto-em-familia.html

Natal



Nos blogs quase todos que leio, e são mesmo muitos, toda a gente fala de Natal.
Fala de prendas, fazem wish list, mostram com orgulho a sua árvore de Natal...

Eu?

Eu se o ano passado estava sem espírito para o natal, este ano com menos espírito estou.

Não, não faço wish list porque o que gostava de ter no Natal não se compra.
Por mim não montava a árvore, não fosse a minha filha e vos garanto que nem luzinhas a piscar havia perto de mim!

Para mim o Natal não é materialista, para mim é um convívio em família, é um dia onde se sente o calor familiar, onde se ama apenas com um gesto ou uma palavra.

E como por estes lados a palavra família não reina, o Natal deixou de ter piada, e deixou de ter significado para mim.

Um dia quem sabe mudo de opinião... ainda não é este ano!

Novidades


69,6kg

Não ando muito em cima do peso, apenas me peso quando me lembro por isso não sei quanto perco de semana a semana.
Sei que no total desde Julho perdi 8.8kg, isso é que me importa.
E hoje volto às caminhadas que deixei há 1 mes!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

The tree of life


Young Jack: [on camera] Help me not answer my dad... Help me not to get dogs in fights... Help me to be thankful for everything I've got... 
[whispered voice over
Young Jack: Where do You live? 
[on camera
Young Jack: Help me not to tell lies. 
[whispered voice over
Young Jack: Are You watching me? I want to know what You are. I want to see what You see. 


-------------------------------------------------------------


Mrs. O'Brien: [voice over] The only way to be happy is to love. Unless you love, your life will flash by. 
[silence
Mrs. O'Brien: [voice over] Do good to them. Wonder. Hope

Bacoradas/Calinada #2

"É sem cumprimiso"


quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Semana



Eu ainda estou em modo segunda-feira.
Talvez porque amanhã é a tão esperada (3meses) consulta, e o meu sorriso está morto para o mundo!!!

Coldplay - us against the world

Oh morning come bursting, the clouds, Amen.
Lift off this blindfold, let me see again
And bring back the water, let your ships roll in.
In my heart she left a hole

The tightrope that I'm walking just sways and ties
The devil as he's talking with those angel's eyes
And I just want to be there when the lightning strikes
And the saints go marching in

And sing slow-ow-ow-ow it down

Through chaos as it swirls
It's us against the world

Like a river to a raindrop, I lost a friend
My drunken as a Daniel in a lion's den

And tonight I know it all has to begin again
So whatever you do, don't let go

And if we could float away
Fly up to the surface and just start again
And lift off before trouble
Just erodes us in the rain (x3)

Sing slow-ow-ow-ow it down
Oh Slow-ow-ow-ow it down

Through chaos as it swirls
It's just us against the world
Through chaos as it swirls
It's us against the world

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Crise (e sem comentários)


A fila à porta da loja H&M, no Chiado, voltou a repetir-se hoje, o primeiro dia em que a colecção Versace para a marca sueca estava disponível para venda, embora sem as centenas das estreias anteriores. A reacção do público ao lançamento de mais uma colecção assinada começa a ganhar contornos de tradição. Entre estampados, tachas e o tinir da campainha, a ocasião reuniu, esta quinta-feira, “predadores” da moda que, aparentemente, conseguem contornar a crise.

E se...

E se passado tanto tempo de certos e errados, de defeitos atrás de defeitos, de decisões conscientes ou menos conscientes, encontrássemos alguém, que por muito defeito que se queira pôr não se consegue encontrar nada de flagrante?
E se esse alguém preenchesse uma boa parte daqueles requisitos que impomos para não nos envolvermos com a pessoa errada?
E se esse mesmo alguém não tiver sentimentos por nós, ou se tiver não estiver preparado para uma relação?
Isto acaba por dar sentido à frase "nada é perfeito"!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Filmes#1 Amelie Poulin



Um dia disseram-me "tens de ver o filme Amelie, tem muito a ver contigo".
Ao saber que era francês torci o nariz e adiei a visualização do mesmo.
Há mais ao menos 1 mês lá decidi procurar o filme e vê-lo, devo dizer que adorei, é daqueles filmes que é para repetir sem duvida.

É um filme inspirador, que nos faz pensar nas pequenas coisas da vida e como muitas vezes um simples gesto pode mudar a vida de uma pessoa.

Retirado da wikipédia:

O filme conta a história de Amélie, uma menina que cresceu isolada das outras crianças. Isso porque seu pai achava que Amélie possuia uma anomalia nocoração, já que este batia muito rápido durante os exames mensais que o pai fazia na menina. Na verdade, Amélie ficava nervosa com este raro contato físico com o pai. Por isso, e somente por isso, seu coração batia mais rápido que o normal. Seus pais, então, privaram Amélie de frequentar escola e ter contato com outras crianças. Sua mãe, que era professora, foi quem a alfabetizou até falecer quando Amélie ainda era menina. Sua infância solitária e a morte prematura de sua mãe influenciaram fortemente o desenvolvimento de Amélie e a forma como ela se relacionava com as pessoas e com o mundo depois de adulta.
Após sua maioridade, mudou-se do subúrbio para o bairro parisiense de Montmartre, onde começou a trabalhar como garçonete. Certo dia, encontra no banheiro de seu apartamento uma caixinha com brinquedos e figurinhas pertencentes ao antigo morador do apartamento. Decide procurá-lo e entregar o pertence ao seu dono, Dominique, anonimamente. Ao notar que ele chora de alegria ao reaver o seu objeto, a moça fica impressionada e remodela sua visão do mundo.
A partir de então, Amélie se engaja na realização de pequenos gestos a fim de ajudar e tornar mais felizes as pessoas ao seu redor. Ela ganha aí um novo sentido para sua existência. Em uma destas pequenas grandes ações ela encontra um homem por quem se apaixona à primeira vista. E então seu destino muda para sempre..

Bacoradas/Calinada #1

"Não estroba" (estorva)


Made in colega de trabalho, que teimou em dizer a mesma palavra 2 vezes.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

#1


I know how it is... and it didn´t work well!

Ultimas


E estou assim, com menos 7.9kg no corpo, mas com uma preguiça que se estende há 3semanas.

Ou seja não tenho ido correr!!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Off

Acho que nunca estive tão desligada e distante de toda a gente como nestes dias!
Desligada ao ponto de só me apetecer dormir, sem sequer acordar nos proximos tempos.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Novidades





E estamos assim, nos 71.9 kg, pesados na sexta passada!

O peso não tem baixado, sei que o motivo é estar a ganhar massa muscular, mas para dar mais animo à coisa bem podia reduzir um pouco!!!

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Coisas

Diz um colega meu:

F. - Bora começar a andar, e depois começas a correr.

Eu- Nem sonhes F., andar até posso ir mas correr? Não!!!

F. - Oh depois até se torna vicio!

Eu - Sim sim, logo eu.

E comecei a caminhar, e comecei a correr (embora muito pouco), e hoje era dia de ir e não vou poder e estou aqui a ferver toda por dentro!!

Ando a dar voltas ao miolo de como ir hoje, até já pensei fazer o dobro dos km só para poder ir.
Era merecido dizer "F. tens razão pá" :)

E esta semana:

26/09 : 10km
27/09: 9km

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Paixoneta vs realidade

O melhor de gostar de alguém é sentir as emoções todas à flor da pele, é sentir o frio na barriga e a ansiedade de querer saber da pessoa.

O reverso da medalha é gostar de alguém que não gosta de nós da mesma forma... ai sim as emoções variam conforme o vento, entre sorrisos, e tristezas.
Medos e desconfortos!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

TENTANDO SER HOMEM NA VIRADA DO SÉCULO


http://www.revistapsicologia.com.br/materias/hoje/m_hoje_tentando.htm

Psicólogo Eduardo Robillard de Marigny

As mulheres acreditam que os homens são mais solidários, sentem-se traídas por suas amigas e acreditam que existe um maior entrosamento entre os homens. Isto é pura fantasia, eles não conseguem ser autênticos, não mostram o que realmente sentem e passam a desempenhar papéis que socialmente são aceitos, em busca de reconhecimento e estabilidade. Muitos têm medo de perder esta imagem, acomodando-se muitas vezes em uma grande empresa, com benefícios, planos de saúde, segurança, na busca de um útero que os mantenha protegidos. Esquecem que nada é definitivo e permanente, a vida é dinâmica e o que é seguro hoje, amanhã pode deixar de ser.
Homens autoritários, infantis, pouco solidários e fugidios, com grande dificuldade em viver seus afetos, seu romantismo; é o que se vê e a maioria das mulheres tem reclamado de seus relacionamentos, mantendo uma tensão constante que muitas vezes confunde-se com tesão em uma relação difícil, onde a mulher busca incessantemente um comprometimento afetivo e o homem foge desesperadamente com medo de ser preso.
Preservam a todo custo a fantasia de ser o grande Dom Juan, que estará conquistando todas as mulheres possíveis e imagináveis, mas não se comprometem com nenhuma delas, muito menos consigo mesmo, pois passam a viver em busca de conhecimento das necessidades destas mulheres, para conquista-las e satisfaze-las temporariamente, não se preocupando em satisfazer as necessidades mais profundas. Vivem relações superficiais consigo mesmos, não entrando em contato com emoções mais intensas e profundas, racionalizam tudo. Mantém os estereótipos de bom de briga, bom de bola, devoradores de mulheres - objeto, vão para o trabalho em busca de sucesso, " poder " e ganhar muito dinheiro, são homens que vivem neste universo infantil e entendem o mundo assim, machistas inveterados ou enrustidos. Como grandes caçadores, desfilam com suas mulheres - troféus para segurança de seus frágeis egos.
Urna grande mudança se faz necessária, política e socialmente, já que sofremos influencias fortes de povos latinos que tendem, em seus núcleos familiares, a infantilizar sempre seus membros mantendo através de chantagens emocionais, uma dependência que impede o crescimento e favorece a acomodação. As leis protegem ainda hoje os homens e seus salários são sempre maiores para manter a posição de provedores. Estas famílias e seus conceitos morais, desenvolvem homens que estruturam-se em bases autoritárias, grandes censores e moralistas, fugindo do que é mais sensível, sublime e afetivo entre as pessoas. Vivem o certo e o errado, não se permitem relaxar e viver o leve, o solto e sem tensão. Transam tudo e todas como uma forma de descarregar suas ansiedades e angústias, imaturo fogem do medo de serem aprisionados ou comidos pelas mulheres com quem se relacionam.
Sucesso é a saga de suas vidas, para serem admirados e desejados a qualquer custo, idealizam vivem a fantasia dos poderosos, o grandioso pênis invejado por todos.
Lesados pelo condicionamento cultural a que foram submetidos, os homens não questionam o que lhes foi roubado:
"a possibilidade de expressar seu lado afetivo", dificultando os relacionamentos Homem - Mulher , pois criou-se um grande vazio, um buraco nas relações afetivas, que mantém urna insatisfação constante , declarada por todas as mulheres que vivem com estes homens; quando elas se cansam e vão embora estes homens não sabem lidar com a perda, fragilizados passam a ficar descontrolados, bebem, se drogam , alienam-se ou passam a ficar violentos. O fracasso, a perda... não suportam tamanha fragilidade.
No coração, simbolicamente esta o afeto. Como os homens enfartam! A vontade de mudar é evidente em muitos homens mas enquanto não houver consciência, a mudança fica difícil de ser alcançada. Não se questionando, não podem conhecer-se entendendo suas reais necessidades, representando apenas o que lhe foi Imposto desde a infância. Queixam-se de dores, fumam, bebem. Com suas vidas limitadas, embasadas apenas na tecnologia, vivem muita tensão e sentem estar jogando a vida fora.
As mulheres atualmente passam a assustar estes homens. São inteligentes, desafiam, questionam, põem em dúvida as verdades que os mantém seguros. Eles se mostram de inicio gentis mas fogem depois da primeira relação sexual. Elas passam a ter a vantagem de viver afetivamente e agora desenvolverem suas capacidades intelectuais e profissionais, abalando a estrutura machista.
Apesar destas mudanças , o homem ainda acredita encontrar a mulher ideal, que irá realiza-lo plenamente e ainda substituir o papel de sua mãe. Por outro lado nos desejos e sonhos mais ocultos, mulheres sonham com o homem ideal para formar um casal e ter filhos. 0 homem acaba casando-se mecanicamente, após ter terminado a faculdade e já estar namorando mais de 4 anos. As mulheres esperam amor e mais cumplicidade e o desencontro se inicia. Ele liga o " automático " e passa a viver intensamente o seu trabalho, tudo e todos são mais importantes que sua própria vida e sua relação afetiva. Pensando sempre e só no futuro, patrimônio e viagens, vai comprometendo seu presente, adiando seu prazer, destruindo seu relacionamento e qualidade de vida.
Thony ( 56 anos ) começou seu processo psicoterápico com a queixa de que precisava melhorar sua vida, já havia se realizado em vários momentos de sua vida, mas sentia que faltavam resolver tantas outras...
Formou-se na Faculdade que seu pai havia se formado e já estava com o casamento marcado com sua noiva, com a qual começou a namorar aos 17 anos, logo teve seus filhos (3), que já estão todos encaminhados e casados atualmente.
Sua carreira profissional foi um grande sucesso e passou a ocupar posições de destaque em grandes instituições sendo reconhecido internacionalmente. Conheceu muitos países pelo mundo a fora em função de seu trabalho, mas sempre viajou só. Sua casa é ótima, mas tem o estilo de sua mulher com quem já está a 40 anos casado e não mantém uma relação satisfatória , o que o fez procurar uma amante que já mantém a 20 anos. Calcula ter trabalhado em media 12 horas diárias nestes anos de profissão, sua mulher reclamava e ele acabava sentindo-se melhor em companhia da amante. Questionava demais seu casamento, muito imaturo, hoje não faria a mesma escolha e não se casaria tão cedo. A amante era bom para poucos momentos. Sentia necessidade de viver novas situações. Sua mãe, no período em que trabalhávamos suas dificuldades em exteriorizar suas emoções , veio a falecer. Muitos medos emergiram.
Quando parou seu processo psicoterápico , após alguns anos, havia rompido seu casamento e sua relação com a amante. Estava morando em um apartamento que decorou com muito entusiasmo. Com total apoio dos filhos estava programando urna viagem pelo mundo, por 6 meses com sua atual companheira.
Modelo de uma geração, Thony desenvolveu-se profissionalmente e não compartilhava os momentos do casal e em família , abrindo um " buraco " no relacionamento que acabou sendo preenchido por uma amante. Quando parou para rever-se, suas emoções mais profundas revelavam insatisfações, perdas e tristezas.
Precisamos de urna democracia individual e existencial para o nascimento do novo homem , rediscutindo a família e o trabalho, para que ele possa ser mais solidário, mais companheiro, mais afetivo, mais cúmplice, mais intimo. Precisamos de uma estratégia pacifista, para que ele possa parar e sentir o que carrega no peito. As mulheres podem ajudar, já que são responsáveis pelo desenvolvimento da infância destes machos, e pôr terem mais " jogo de cintura " existencial.
Jacob Levy Moreno fala que a saúde emocional se mede pelo nível de espontaneidade e criatividade nas relações que um indivíduo estabelece consigo mesmo, com os outros e com o mundo em que vive. "Conservas culturais" ou comportamentos padrões acabam com a saúde, desenvolvendo comportamentos inadequados, neuróticos, muitas vezes agressivos. Freud diz que o homem é agressivo por natureza, mas a cultura contribuiu para isso. Repensando o " complexo de Edipo " as dificuldades começam nas relações sociais mais primarias. Mães controladoras, fazem com que seu filhos se desenvolvam utilizando sua potência para agrada-las, o que posteriormente irá dificultar o uso desta potência para libertar-se e viver a própria vida. As relações possessivas e as expectativas depositadas inconscientemente e muitas vezes declaradamente , como formas de amor, traçam o destino de como irão se estabelecer suas relações pelo resto de sua vida.
Amor não e posse, é Liberdade.
É conseguir aceitar outro como ele é.
Rever as obrigações estabelecidas socialmente para as relações Homem Mulher , poderá facilitar a busca da relações amorosa, com o respeito pelos limites individuais e da relação , com liberdade de ir e vir. Como o pássaro que vem em sua janela cantar ao bel-prazer e pode ir e voltar quando quiser sem sentir-se ameaçado em seu potencial de vida e Liberdade. Substituirá a gaiola que aprisiona em nome dos cuidados diários e que mantém uma dependência constante de quem foi preso e de quem prendeu e não poderá sair em tranqüilidade pois em guarda não pode abandonar seu papel. Após algum tempo , ambos estarão tão inseguros, que a gaiola pode ser aberta que o medo de voar e ser atacado por outros pássaros ou de não conseguir mais buscar seus alimentos será tão grande que voltará para dentro da gaiola. Por outro lado, a rotina pobre de cuidar da gaiola e alimentar seu dependente vai afastando-o de uma vida mais dinâmica, deixando-o inseguro para estabelecer novos relacionamentos.
É preciso romper modelos tradicionais que não mais funcionam e experimentar novas possibilidades de relacionar-se com o mundo e à dois.