quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Coisas

Diz um colega meu:

F. - Bora começar a andar, e depois começas a correr.

Eu- Nem sonhes F., andar até posso ir mas correr? Não!!!

F. - Oh depois até se torna vicio!

Eu - Sim sim, logo eu.

E comecei a caminhar, e comecei a correr (embora muito pouco), e hoje era dia de ir e não vou poder e estou aqui a ferver toda por dentro!!

Ando a dar voltas ao miolo de como ir hoje, até já pensei fazer o dobro dos km só para poder ir.
Era merecido dizer "F. tens razão pá" :)

E esta semana:

26/09 : 10km
27/09: 9km

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Paixoneta vs realidade

O melhor de gostar de alguém é sentir as emoções todas à flor da pele, é sentir o frio na barriga e a ansiedade de querer saber da pessoa.

O reverso da medalha é gostar de alguém que não gosta de nós da mesma forma... ai sim as emoções variam conforme o vento, entre sorrisos, e tristezas.
Medos e desconfortos!

terça-feira, 27 de setembro de 2011

TENTANDO SER HOMEM NA VIRADA DO SÉCULO


http://www.revistapsicologia.com.br/materias/hoje/m_hoje_tentando.htm

Psicólogo Eduardo Robillard de Marigny

As mulheres acreditam que os homens são mais solidários, sentem-se traídas por suas amigas e acreditam que existe um maior entrosamento entre os homens. Isto é pura fantasia, eles não conseguem ser autênticos, não mostram o que realmente sentem e passam a desempenhar papéis que socialmente são aceitos, em busca de reconhecimento e estabilidade. Muitos têm medo de perder esta imagem, acomodando-se muitas vezes em uma grande empresa, com benefícios, planos de saúde, segurança, na busca de um útero que os mantenha protegidos. Esquecem que nada é definitivo e permanente, a vida é dinâmica e o que é seguro hoje, amanhã pode deixar de ser.
Homens autoritários, infantis, pouco solidários e fugidios, com grande dificuldade em viver seus afetos, seu romantismo; é o que se vê e a maioria das mulheres tem reclamado de seus relacionamentos, mantendo uma tensão constante que muitas vezes confunde-se com tesão em uma relação difícil, onde a mulher busca incessantemente um comprometimento afetivo e o homem foge desesperadamente com medo de ser preso.
Preservam a todo custo a fantasia de ser o grande Dom Juan, que estará conquistando todas as mulheres possíveis e imagináveis, mas não se comprometem com nenhuma delas, muito menos consigo mesmo, pois passam a viver em busca de conhecimento das necessidades destas mulheres, para conquista-las e satisfaze-las temporariamente, não se preocupando em satisfazer as necessidades mais profundas. Vivem relações superficiais consigo mesmos, não entrando em contato com emoções mais intensas e profundas, racionalizam tudo. Mantém os estereótipos de bom de briga, bom de bola, devoradores de mulheres - objeto, vão para o trabalho em busca de sucesso, " poder " e ganhar muito dinheiro, são homens que vivem neste universo infantil e entendem o mundo assim, machistas inveterados ou enrustidos. Como grandes caçadores, desfilam com suas mulheres - troféus para segurança de seus frágeis egos.
Urna grande mudança se faz necessária, política e socialmente, já que sofremos influencias fortes de povos latinos que tendem, em seus núcleos familiares, a infantilizar sempre seus membros mantendo através de chantagens emocionais, uma dependência que impede o crescimento e favorece a acomodação. As leis protegem ainda hoje os homens e seus salários são sempre maiores para manter a posição de provedores. Estas famílias e seus conceitos morais, desenvolvem homens que estruturam-se em bases autoritárias, grandes censores e moralistas, fugindo do que é mais sensível, sublime e afetivo entre as pessoas. Vivem o certo e o errado, não se permitem relaxar e viver o leve, o solto e sem tensão. Transam tudo e todas como uma forma de descarregar suas ansiedades e angústias, imaturo fogem do medo de serem aprisionados ou comidos pelas mulheres com quem se relacionam.
Sucesso é a saga de suas vidas, para serem admirados e desejados a qualquer custo, idealizam vivem a fantasia dos poderosos, o grandioso pênis invejado por todos.
Lesados pelo condicionamento cultural a que foram submetidos, os homens não questionam o que lhes foi roubado:
"a possibilidade de expressar seu lado afetivo", dificultando os relacionamentos Homem - Mulher , pois criou-se um grande vazio, um buraco nas relações afetivas, que mantém urna insatisfação constante , declarada por todas as mulheres que vivem com estes homens; quando elas se cansam e vão embora estes homens não sabem lidar com a perda, fragilizados passam a ficar descontrolados, bebem, se drogam , alienam-se ou passam a ficar violentos. O fracasso, a perda... não suportam tamanha fragilidade.
No coração, simbolicamente esta o afeto. Como os homens enfartam! A vontade de mudar é evidente em muitos homens mas enquanto não houver consciência, a mudança fica difícil de ser alcançada. Não se questionando, não podem conhecer-se entendendo suas reais necessidades, representando apenas o que lhe foi Imposto desde a infância. Queixam-se de dores, fumam, bebem. Com suas vidas limitadas, embasadas apenas na tecnologia, vivem muita tensão e sentem estar jogando a vida fora.
As mulheres atualmente passam a assustar estes homens. São inteligentes, desafiam, questionam, põem em dúvida as verdades que os mantém seguros. Eles se mostram de inicio gentis mas fogem depois da primeira relação sexual. Elas passam a ter a vantagem de viver afetivamente e agora desenvolverem suas capacidades intelectuais e profissionais, abalando a estrutura machista.
Apesar destas mudanças , o homem ainda acredita encontrar a mulher ideal, que irá realiza-lo plenamente e ainda substituir o papel de sua mãe. Por outro lado nos desejos e sonhos mais ocultos, mulheres sonham com o homem ideal para formar um casal e ter filhos. 0 homem acaba casando-se mecanicamente, após ter terminado a faculdade e já estar namorando mais de 4 anos. As mulheres esperam amor e mais cumplicidade e o desencontro se inicia. Ele liga o " automático " e passa a viver intensamente o seu trabalho, tudo e todos são mais importantes que sua própria vida e sua relação afetiva. Pensando sempre e só no futuro, patrimônio e viagens, vai comprometendo seu presente, adiando seu prazer, destruindo seu relacionamento e qualidade de vida.
Thony ( 56 anos ) começou seu processo psicoterápico com a queixa de que precisava melhorar sua vida, já havia se realizado em vários momentos de sua vida, mas sentia que faltavam resolver tantas outras...
Formou-se na Faculdade que seu pai havia se formado e já estava com o casamento marcado com sua noiva, com a qual começou a namorar aos 17 anos, logo teve seus filhos (3), que já estão todos encaminhados e casados atualmente.
Sua carreira profissional foi um grande sucesso e passou a ocupar posições de destaque em grandes instituições sendo reconhecido internacionalmente. Conheceu muitos países pelo mundo a fora em função de seu trabalho, mas sempre viajou só. Sua casa é ótima, mas tem o estilo de sua mulher com quem já está a 40 anos casado e não mantém uma relação satisfatória , o que o fez procurar uma amante que já mantém a 20 anos. Calcula ter trabalhado em media 12 horas diárias nestes anos de profissão, sua mulher reclamava e ele acabava sentindo-se melhor em companhia da amante. Questionava demais seu casamento, muito imaturo, hoje não faria a mesma escolha e não se casaria tão cedo. A amante era bom para poucos momentos. Sentia necessidade de viver novas situações. Sua mãe, no período em que trabalhávamos suas dificuldades em exteriorizar suas emoções , veio a falecer. Muitos medos emergiram.
Quando parou seu processo psicoterápico , após alguns anos, havia rompido seu casamento e sua relação com a amante. Estava morando em um apartamento que decorou com muito entusiasmo. Com total apoio dos filhos estava programando urna viagem pelo mundo, por 6 meses com sua atual companheira.
Modelo de uma geração, Thony desenvolveu-se profissionalmente e não compartilhava os momentos do casal e em família , abrindo um " buraco " no relacionamento que acabou sendo preenchido por uma amante. Quando parou para rever-se, suas emoções mais profundas revelavam insatisfações, perdas e tristezas.
Precisamos de urna democracia individual e existencial para o nascimento do novo homem , rediscutindo a família e o trabalho, para que ele possa ser mais solidário, mais companheiro, mais afetivo, mais cúmplice, mais intimo. Precisamos de uma estratégia pacifista, para que ele possa parar e sentir o que carrega no peito. As mulheres podem ajudar, já que são responsáveis pelo desenvolvimento da infância destes machos, e pôr terem mais " jogo de cintura " existencial.
Jacob Levy Moreno fala que a saúde emocional se mede pelo nível de espontaneidade e criatividade nas relações que um indivíduo estabelece consigo mesmo, com os outros e com o mundo em que vive. "Conservas culturais" ou comportamentos padrões acabam com a saúde, desenvolvendo comportamentos inadequados, neuróticos, muitas vezes agressivos. Freud diz que o homem é agressivo por natureza, mas a cultura contribuiu para isso. Repensando o " complexo de Edipo " as dificuldades começam nas relações sociais mais primarias. Mães controladoras, fazem com que seu filhos se desenvolvam utilizando sua potência para agrada-las, o que posteriormente irá dificultar o uso desta potência para libertar-se e viver a própria vida. As relações possessivas e as expectativas depositadas inconscientemente e muitas vezes declaradamente , como formas de amor, traçam o destino de como irão se estabelecer suas relações pelo resto de sua vida.
Amor não e posse, é Liberdade.
É conseguir aceitar outro como ele é.
Rever as obrigações estabelecidas socialmente para as relações Homem Mulher , poderá facilitar a busca da relações amorosa, com o respeito pelos limites individuais e da relação , com liberdade de ir e vir. Como o pássaro que vem em sua janela cantar ao bel-prazer e pode ir e voltar quando quiser sem sentir-se ameaçado em seu potencial de vida e Liberdade. Substituirá a gaiola que aprisiona em nome dos cuidados diários e que mantém uma dependência constante de quem foi preso e de quem prendeu e não poderá sair em tranqüilidade pois em guarda não pode abandonar seu papel. Após algum tempo , ambos estarão tão inseguros, que a gaiola pode ser aberta que o medo de voar e ser atacado por outros pássaros ou de não conseguir mais buscar seus alimentos será tão grande que voltará para dentro da gaiola. Por outro lado, a rotina pobre de cuidar da gaiola e alimentar seu dependente vai afastando-o de uma vida mais dinâmica, deixando-o inseguro para estabelecer novos relacionamentos.
É preciso romper modelos tradicionais que não mais funcionam e experimentar novas possibilidades de relacionar-se com o mundo e à dois.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Caminhadas

Tenho ido fazer caminhadas, e para que fique registado (para mim logico) aqui vai:


15/09 - 6 km
17/09 - 9 km
19/09 - 6 km
22/09 - 6.9 km
24/09 - 12.6 km

Distance Christina Perri



The sun is filling up the room
And I can hear you dreaming
Do you feel the way I do right now?
I wish we would just give up
Cause the best part is falling
Call it anything but love
And I will make sure to keep my distance
Say "I love you" when you're not listening
How long can we keep this up, up, up?
And please don't stand so close to me
I'm having trouble breathing
I'm afraid of what you'll see right now
I give you everything I am
All my broken heart beats
Until I know you'll understand
And I will make sure to keep my distance
Say "I love you" and you're not listening
How long can we keep this up, up, up?
And I keep waiting
For you to take me
You keep waiting
To say what we have
So I make sure to keep my distance
Say "I love you" when you're not listening
How long can we keep this up, up, up?
Make sure to keep my distance
Say "I love you" when you're not listening
How long till we call this love, love, love?

SNS

Medica a 31/08 : Esperar 2meses nem pensar, vou-te marcar a consulta para a maternidade com carácter urgente.

Life espera, e espera, e desespera e hoje liga para a maternidade a ver quando era afinal a consulta.

Senhor da maternidade: Está marcada para dia 24 de Novembro..

Ou seja 3meses depois da médica ter marcado consulta, que era urgente e não podia esperar 2meses....

É por isso que hoje em dia ou se tem dinheiro e vai-se a privados, ou "morre-se" à espera de uma consulta urgente no publico!!

Estupidez

Andava eu a gabar-me e toda contente porque esta semana que passou nem um ataque de pânico à vista, nem perto, até que hoje como dormi poucas horas decidi tomar café com leite.

Ok café a mim põe-me a ponto de ter um ataque cardíaco, começo a tremer de tal maneira que parece que me injectaram algo nas veias, tipo speed.
Como comecei a tremer, apenas efeito do café, o medo apareceu e pimba, comprimido debaixo da lingua e só agora estou a respirar melhor.

E onde está a estupidez nisto???

É que neste momento os ataques dão-me por medo do próprio medo... e isto irrita-me tanto, a perda de controle sobre mim!!! E acabou o café, o melhor é adormecer em cima do PC.

Quinta já tenho médico, a ver vamos se isto melhora, senão um dia ainda tem de me ir visitar ao Magalhães Lemos!!!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Conversa interessante

À hora do almoço temos sempre conversas deveras interessantes..

"o que cativa num homem" (e eles hoje em dia que estão tão... sei lá... cada vez estão piores é mais isso)

E eu ponho-me a pensar, que eu penso mesmo muito, e faço em segundos vários filmes na minha linda cabecinha!

Se for do tipo, vou na rua e vejo um gajo, cativa-me o olhar, o charme, e (quase sempre) o seu ar bad boy, isso é o que me faz olhar para eles!

Se for do tipo gajo com quem começo a falar, os que me cativam são os inteligentes, que sabem falar, que me "ensinem" algo porque aqui a menina é tipo esponja quando aprende algo novo, e lhe mostram um outro mundo ou realidade diferente.

Se pudermos juntar aquele charme que um gajo pode ter, e às vezes nem é bonito, nem jeitoso, mas tem algo no olhar que me derrete logo, junto com uma boa conversa, e inteligência à mistura é perfeito!!!

Se for do tipo, gajo para relação ai tudo muda de sentido, e esta não vou dizer porque não sou exemplo para ninguém, porque sei o que quero, mas acabo sempre no que não quero!

Ah e gajos lindos tipo ken, cheios de musculos e afins... nah! quando abrem a boca estragam tudo, perdem logo o encanto.

Oh como eu penso muito e em pouco segundos!! :P

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Coisas de gajo que não entendo

- Ele dá um passo, eu dou um, ele foge com dois para trás.
- Não está interessado, falo de amigos, insinua que ando com eles.

Ou ele é bi-polar, ou eu ando a entender mal o que ele faz e diz!

Mudar ou não

Sou muito ligada às pessoas, ligo-me facilmente a alguém com quem me dê bem, ligo-me ao ponto de me preocupar se a pessoa está bem ou mal.
Mas constantemente levo com o rotulo de preocupada demais, "Falas muito", "preocupas-te demais", ao ponto de parecerem incomodadas com isso.
Não entendo é se as pessoas dizem isto por não estarem habituadas a ter quem se preocupe, ou se porque não gostam que se preocupem com eles/elas.

E isto leva-me muitas vezes a como estou hoje, preocupei-me demais com uma pessoa, por causa de uma situação, e ainda levei com a tal frase "fogo, preocupas-te demais", e dou por mim a pensar controlar-me e não me preocupar tanto.
Já o fiz várias vezes, já me tornei fria, mas quando o fiz não me senti eu, era como se tivesse o meu "eu" do lado de fora a ver a pessoa que me tinha tornado por uns tempos.

É muito complicado ser eu, mais complicado ainda é as outras pessoas terem de lidar comigo porque não acreditam que ainda haja gente que se preocupe assim.
E depois há a melhor parte, os que chegam a mim por estarem mal, ficam bem, e saem da minha vida.... Muitas vezes, mais do que as que desejava até.

E embora me sinta bem por ajudar, a verdade é que quando as pessoas partem uma parte de mim acaba por ser retirada, e doi, mas acho que ninguém tem noçao disso.

Nos dias de hoje é mesmo muito dificil ser eu! E ou mudo mesmo quem sou, ou um dia dou por mim sem nada cá dentro!

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Enviado a uma pessoa...

A vida por vezes mostra-nos caminhos, caminhos esses que ou ganhamos coragem e percorremos, mesmo sem saber qual o final da história, ou decidimos acobardarmos-nos e mantemos-nos na nossa linha de segurança!
A cada um de nós cabe a decisão sobre o que fazer, saber o que deseja da vida, pensar nos seus objectivos e ver qual o melhor rumo a tomar.
No momento em que se tomar esse rumo, levar na consciencia que tanto pode correr bem como pode correr mal. Isto é a essencia da vida, onde nada é certo, onde se deve aproveitar cada coisa que nos é dada, e saber que em cada queda nos tornamos mais fortes para o restante caminho que nos falta percorrer.
Pela estrada leva na mente que a felicidade não é eterna, não existe o "e viveram felizes para sempre" mas existem momentos repletos de felicidade, e são esses momentos que tens de absorver, e guardar, pois esses momentos, naqueles dias maus em que vais cair, vão te mostrar que vale a pena levantar, porque a felicidade vale a pena.
Por isso, esquece o passado, vive o presente com os olhos postos no futuro.
Sei que neste momento não sou a pessoa certa para te dar sermões, ou conselhos, porque estou numa fase menos boa, mas se há coisa que me posso gabar é que me levantei sempre, e segui em frente.
Isto tudo para entenderes que essa revolta que tens, de nada te vale, e só te estagna a vida, luta pelo que queres, luta pelo que amas e pelo que te orgulhas.
E se eu puder, e ainda falar contigo assistirei da bancada :).  

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Vantagens

Nem tudo é negativo no meio do mau!
Ora vejamos, ando numa fase muito estranha, isso é verdade, mas esta fase leva a ...

27 de Maio tinha 78,3 kg, hoje dia 19 de setembro tenho 73.2kg, fui buscar o valor mais alto, record (sem comentarios).

E esta fase deu-me forças para... caminhar... a semana passada comecei as caminhadas : 5km, sabado 8km, e hoje vou de novo.

Até no mau eu vejo o bom lol, so espero é nao desistir.

Ele...

Faz-me mal, ai faz faz.
E até se pode dizer "só faz porque deixas" mas sendo eu virgem (de signo, e embora não siga os signos à regra), dou por mim a pensar, e penso demais.

E pensar faz-me mal. Ele faz me mal! Está dito.

FDP

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/internacional/mundo/negociou-o-abuso-sexual-da-filha-de-quatro-anos-em-troca-de-droga

E são estas coisas que me tiram do sério, e me provocam uma raiva tal que até fico doente.
Devia haver uma lei chamada "olho por olho", ou então devia haver uma lei onde esta escumalha fosse toda morta, ou então até melhor, deviam cortar-lhe algo que eu cá sei e assim acabava-se (pelo menos com esse) este tipo de situações.

Esta gente mete-me um nojo tal, que se eu pudesse fazer justiça por mim mesma não sei o que faria!
É por isso que evito de ler certas noticias, porque o meu sentido de impotencia é tanto que me doi cada pedacinho do corpo e coração!

E isto é raiva, raiva mesmo!

sábado, 17 de setembro de 2011

Porque sim...

De todas as vezes que me sinto como me tenho vindo a sentir lembro-me mais da minha avó, da falta que me faz encostar a alguém, sem dizer nada, apenas estar ali em posição fetal, chorar o que tivesse a chorar, com a mão dela em cima de mim, sem perguntas.
E naqueles minutos libertar tudo no silencio, juntinho a ela, e recuperar aquela força que tanta falta me anda a fazer.
Naquelas alturas era tão fácil "recomeçar", saber que tinha ali um porto de abrigo como se de um confessionário se tratasse, onde libertava a raiva, a dor, a incapacidade em cada lágrima vertida. Hoje em dia é tão dificil chorar, tão complicado libertar tudo o que anda perdido aqui dentro, começar a chorar por uma coisa e depois os pensamentos emaranharem-se todos e perceber que há tanto pelo qual chorar, e tão pouco tempo (vontade) de o fazer.
Mas com ela eu conseguia levar os pensamentos um a um, descarregar tudo, pensar em tudo e meter tudo em ordem.
O estar "sozinha" tem destas coisas, além de muita gente pensar que a minha vida é perfeita porque eu sou aquela que ri mesmo estando mal, a verdade é que me faz falta aquele à vontade para me desmanchar a chorar junto de alguém, falta-me a minha avó o meu porto seguro para situações como esta. E eu sinto-me perdida, cansada, esgotada...

Às vezes (quase sempre) pergunto-me quando irá terminar isto, quando poderei dizer "ok agora sim tudo está bem", não é que queira ser feliz para sempre que isso além de impossível seria desgastante, não iria dar importância às coisas como dou, porque tudo seria fácil, mas apenas o dizer "está tudo bem" e pensar na minha vida e ver que aquela palavra tem sentido, que não é mais uma daquelas respostas que dou de sorriso na cara "sim está tudo bem".

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Ataques Panico

É falar neste nome, ou ansiedade, e é ver as pessoas olharem para mim com cara de "só isso? Essa cabeça está toda queimada", ou é vê-los olhar-me como se fosse uma coitadinha, coisa que abomino, nunca o fui, dai nem falar muito da minha vida às pessoas.

No meio desta gente, há uma que me pergunta o que tive afinal na quarta, ao que eu explico mais uma vez "ansiedade que levou a um ataque de panico, começaram há 1mes este foi o 2º" e a resposta foi... "isso é muito mau, eu já tive e ainda hoje não vou ao cinema por causa disso, o que se sente é horrivel"

E eu senti-me normal, naqueles minutos.

As pessoas não tem noção que quase toda a gente tem ataques de panico, os meus são herditários, pensei que me ia safar porque sempre fui forte psicologicamente, mas quando a vida se complica o corpo cede, e o meu cedeu esta semana.
O meu irmão já os tem desde os 16anos, por isso quando me deu o 1º eu já sabia o que era, mas o susto é tão grande, que só me deu para chorar.
Além disso, eu não aceito esta condição, não aceito isto porque para mim é uma fraqueza, fraqueza essa que nunca tive mesmo com tudo o que já passei.

Por isso o mau aqui nem é os ataques de panico e o mau estar derivado disso, o mau aqui é a raiva que ganho a mim mesma por não estar a conseguir controlar o meu corpo como sempre o fiz!

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ataque_de_p%C3%A2nico


Sintomas de um ataque de pânico
Um ataque de pânico implica o aparecimento súbito de, pelo menos, quatro dos sintomas seguintes:
Dificuldade respiratória ou sensação de estar a sufocar.
Vertigens, instabilidade ou desmaio.
Palpitações ou ritmo cardíaco acelerado.
Tremuras ligeiras ou acentuadas.
Sudação.
Falta de ar.
Náuseas, dor de estômago ou diarreia.
Sensação de irrealidade, estranheza ou separação do meio envolvente.
Sensações de adormecimento ou de formigueiros.
Ruborização ou calafrios.
Dor ou incomodidade no peito.
Medo de morrer.
Medo de «tornar-se louco» ou de perder o controlo.

sábado, 10 de setembro de 2011

Há alturas

na vida em que devia estar sossegadinha no meu canto sem ver o que há em minha volta, assim não corria riscos, e não andava a cada passo a hiperventilar por coisas sem sentido!
Um gajo do tempo de escola, ele lembrar-se de mim e começarmos a falar.
A ideia de ir tomar um café, ao qual ele nunca se decidia a ir "não tenhas pressa, vamos indo e vendo" Ouvi isto tantas vezes e ainda ouço.
Passado três semanas, lá se decidiu a ir ter comigo.
Primeira reacção, eu vejo-o, ele foge. Fiquei possuída com a situação, mandei sms a chama-lo de infantil quando ele já sabia que a amizade que estávamos a ter era suficiente para poder vir falar comigo, e dizer-me ao menos que viu algo que não gostou!
Eu ainda a tremer, a tentar entender aquilo que se passou, e fiquei ali na rua, a falar com uma amiga. Não entendia mesmo!

O meu telemóvel toca e era ele perguntava onde eu estava, possuída como estava disse-lhe algumas verdades e ele veio ter comigo.
Ali entendi... estava bêbado. Uma forma bonita de ir ter com alguém para a conhecer!

Lá tivemos a falar, fomos andando a ver se aquilo lhe passava, diz que não me viu mesmo, que viu como fiquei, pediu desculpa, e eu apenas lhe disse "leva esta conversa como a 2ª oportunidade que te dou de nos conhecermos"

Até ali tudo bem, finalmente estava a rever aquela pessoa de há quase 20 anos atrás, a ideia continuava a mesma, conhece-lo e ver como ele era em pessoa visto por telemóvel se poder dizer tudo e não sabermos se é verdade ou não.
Claro que assim bêbado não deu para entender muito a não ser que afinal, aquele gajo que fala e fala, e se gaba, até é tímido!

Passando!

Corria tudo bem até pararmos, falarmos, e eu que sou de olhar nos olhos das pessoas perceber que ali havia algo, eu ficava completamente colada nos olhos dele, e ele nos meus, o gelo quebrava quando ele se ria e so dizia "não me acredito nisto".
E se antes eu já não o entendia agora menos ainda, visto eu ser pessimista e já ter passado por muita coisa, levei aquilo para "ou esta como eu, ou reparou como olho". Mais para a frente já sentados percebi que o mais provável seria que sentisse o mesmo, visto ele ter-se chegado mesmo a mim, ao ponto de ficarmos escassos centimetros um do outro e ele dizer "és mesmo bonita". Eu não reagi embora quisesse reagir, mas pensei no inicio da noite, pensei na amizade ainda por construir, pensei que o mais provável é ele ser mais um que apenas quer uma coisa, alem de que estava bêbado, por isso fui consciente e pensei "se ele sentiu o mesmo marcara novo encontro e ai vê se" pensava eu enquanto cada parte de mim sentia algo como "beija-o e não penses tanto".
Acabamos a noite a conversar já com ele sóbrio, com a promessa dele que tínhamos de marcar novo encontro, mas desta mais calmo sem bebidas alcoólicas perto. Eu nem disse nada, com ele marcar algo é pior que marcar com um presidente qualquer...

Hoje voltamos a falar por sms como sempre, ele já meio estranho, mas a dizer que tinha gostado muito da noite, agradeceu eu ter esperado e agradeceu a minha paciência com ele, que ainda bem que eu tinha esperado (disse-me isto n vezes durante a conversa à noite) , que eu era interessante e que a noite tinha sido boa e útil.
Mas para la disto há o reverso, há o cravo e ferradura, se por um lado diz estas coisas por outro quase não fala, se tento marcar algo diz que tem algo para fazer, e à pouco disse que não me beijou ontem porque "estamos a construir uma amizade", ao qual digo "pois e quando há amizades não pode acontecer nada e isso?" ao qual me responde "que radical, não, vamos indo e vamos vendo ok?"

E eu penso, e repenso, e não sei o que pensar mais sobre isto.

O maior problema são as expectativas, o raio das expectativas de tudo e mais alguma coisa, quando elas nao haviam de haver.
Acho que o melhor é dar espaço, e pensar como ele "vamos indo e vendo" :S

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Homossexualidade vs homofobia


"Um pai entregou, na madrugada de quinta-feira, o filho na esquadra da PSP Valadares, em Vila Nova de Gaia, por ter descoberto a orientação sexual do menor, ao início da noite.
Segundo fonte policial, o progenitor perseguiu o menor, com 15 anos, logo que este lhe pediu autorização para uma saída nocturna com amigos. O pai foi então encontrar o adolescente na discoteca Pride, no Porto, pelas 1.30 horas de quinta-feira.
Reagindo a quente, alegadamente, o homem accionou primeiro várias autoridades, acusando a gestão do espaço - maioritariamente frequentado por jovens homossexuais - de ter permitido a entrada do menor.
Tendo em conta que a PSP pouco mais terá feito que registar a falha de identificação na entrada do espaço, apenas permitido a maiores de 18 anos, pai e filho regressaram então a casa, a Valadares.
Pelas 4.30 horas, o progenitor, engenheiro de profissão, apresentou-se na PSP daquela localidade com o adolescente lavado em lágrimas, para o entregar aos polícias que estavam de serviço.
O JN sabe que o pai se recusou a ficar com o filho em casa, tendo sido accionado o serviço de emergência social para encontrar uma resposta de albergue para o jovem."

Eu fico parva com situações destas, como é que hoje em dia, em pleno sec. XXI , ainda existem este tipo de mentes pequeninas que prefere abandonar o filho a aceitar que ele é homossexual?

Até pode ser um choque cultural para muita gente, pode ser um choque para a maioria das pessoas que vêm com uma educação conservadora, mas dai até abandonar o filho? 
Envergonhá-lo em frente àquela gente toda? 
Mesmo sabendo o mal psicologico que lhe vai provocar?!

É muito triste as pessoas terem esta mente pequenina!


Sei lá...

Em conversa com um rapaz com quem ando a ganhar uma amizade, diz-me este que tenho a minha auto estima baixa, porque acho que ninguém gosta de mim e que não tenho nada de bonito em mim.

Ok, é verdade que a maioria das vezes penso isto, não por me achar feia porque nem acho, mas porque me levaram sempre a pensar isto de mim mesma.
Todos os que chegam a mim vem sempre apenas e só com um fim, e claro que até podemos dizer "os homens são mesmo assim" mas serão mesmo?!

A partir do momento em que é tudo para aquilo, e se dizemos não, eles desaparecem do mapa, algo aqui está errado certo?
Mas eu não penso "ok só se chega a mim aquela escumalha, tenho iman para gente assim" mas não não penso.
Penso sempre que devo ter algo errado.
Sei que não posso agradar gregos e troianos, mas por vezes era bom que as pessoas se dessem ao trabalho de me conhecerem em vez de olharem e nem darem oportunidade de conversa!

A unica coisa que me vou segurando é que, mesmo sendo só para aquilo eles devem ver algo em mim não? Digo eu que cada vez entendo menos a mente masculina.

Mas a parte boa era, conhecer-me, porque sei que não tenho muitas qualidades físicas que agrade um homem, mas tenho um cérebro aqui em cima, e sim meus amores o cérebro por vezes consegue ser mais importante. Mas só para alguns, porque há quem prefira a loira boa e burra, que quando abre a boca só diz asneira.

E dou por mim a pensar, se formos a ver, as únicas pessoas (seja homem ou mulher) com quem me dou mais, são os que me conhecem mesmo.

Ando eu aqui a tentar escrever para me mentalizar de algo, que mais me parece a discussão do sexo dos anjos lol.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Eu e as "crianças"

Não lido bem com gente infantil, gente que tem 30 e tal anos mas parecem putos de 15anos, e meus senhores o que mais há neste momento é gente dessa.
Gente que no BI apresenta uma idade de respeito e depois vai-se a ver e a mentalidade não corresponde...

No sábado fui a um aniversário de um amigo, acabamos a noite nas galerias até às 9 da manhã.
Nas galerias encontrei um colega de trabalho, já bêbado, coisa engraçada de ver para quem como eu não bebe!
Passando!
Como ele estava naquele estado, falei com ele e disse que o melhor era não ir de carro para casa. Ele lá me pediu boleia e como moro perto dele levei-o(ainda sou de bom tempo fonix).
Chego perto de casa e diz-me ele que não quer ir para casa, que a mãe vai chatear (convém dizer que ele tem 36anos, mas como hoje em dia pelos vistos é moda os gajos morarem todos com a mãezinha).

Lá lhe digo "ok vamos então até ali, tomas café e apanhas ar até ficares melhor".

Mal saímos do carro ele vem a abraça-me, até aqui tudo bem, eu que já aturei muito bêbado sei como eles ficam nessas alturas, ao abraçar-me tenta beijar-me, eu viro a cara e levo com algo como "qual é o problema?"
Ao que respondo "estas bêbado e és meu colega de trabalho?".
Nisto mais outro abraço e de novo tenta beijar-me, eu viro de novo a cara e desta vez até foi mais giro "fogo estás a fugir porque? podias estar aqui numa boa a curtir" (e pensar eu que curtir foi aos meus 15anos, e acho que hoje em dia o significado curtir não tem a inocência dos meus 15, digo eu!).

Eu aqui já a não gostar da brincadeira disse "olha eu sei que estás habituado às tuas amigas da noite, que são fáceis e abrem as pernas mal estalas os dedos, mas eu não sou elas! Estás mesmo enganado! Alem disso, trabalhamos juntos imaginas amanhã como vai ser?"

- "ah eu sou muito liberal, não ia deixar de falar contigo, é na boa! Que tem trabalharmos juntos"
- "ok amanha vamos ver o que tem pode ser?"

Mais um abraço, e começa a fazer jogos de cintura, ok foi o limite, afastei-o de mim e disse-lhe "olha ou paras com os jogos de cintura e tentativas de beijo ou levo-te embora".
Finalmente o rapaz percebeu que quando digo não é não.
Adormeceu no carro e depois levei-o a casa, ou seja só cheguei a casa às 11 da manhã.

Na segunda feira de manhã, até foi giro, ele mal me vê atrapalha-se, mete os olhos ao chão, diz bom dia entre dentes e eu só me ria lógico.
Mas embora tenha sido giro na segunda, a verdade é que agora até já mete nojo.
O gajo não fala quase, mete olhos ao chão quando me vê como se não me conhecesse, e faz de conta que não se passou nada, mesmo típico de gajo parvalhão que não tem dois dedos de testa e é cobarde.
Então cheio de merdas para curtirmos etc, eu é que disse que não, e ele é que ainda fica assim?
Assim devia ficar eu, mas como sou crescida e tenho noção da vida, não me dá para infantilidades!
Não tivesse eu com ele no trabalho e já o tinha chamado à realidade!

Agora eu gostava era de ver como reagiria ele se tivesse acontecido mesmo algo como ele queria!

Infantis... hoje em dia o que há mais é homens infantis (sem generalizar ok?)

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Coisas

Eu até tenho andado muito caladinha, quase não contei a ninguém sobre a consulta que vou ter na maternidade, não contei a ver se a minha mente se desliga do que ali poderei ter!
Tenho saído o máximo de vezes possível, tenho-me divertido, e o fundamento é o mesmo, não me lembrar!

O problema mesmo é ler muitos blogs, e em dois ou três deles, haver um pai e duas amigas com cancro, um terminal, outro ligada ao ventilador e outra que descobriu agora há pouco tempo, e embora eu nem seja de ligar ao que leio, porque como sou gaja que gosta de medicina se ligasse a tudo o que leio seria uma hipocondríaca, a verdade é que ler estas histórias, e saber que do nada descobriram o cancro mexe comigo.

Tenho perfeita noção que poderei ter apenas uma infecção, como tenho noção que pode ser algo mais grave.
E tenho mais noção ainda que vou ter de ser vigiada de 6 em 6 meses por causa do vírus que deu positivo.

Mas tenho andado mesmo muito caladinha, a ver se os fantasmas não chegam mais cedo do que devem, e se não sofro por antecipação.
Bom mesmo era se calhar não ler aqueles blogs :S assim não me arrepiava de ler aquela palavra começada por C...

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Sonhos

A vida por vezes dá voltas.
Por vezes, ou mesmo muitas vezes não temos tudo o que sonhamos.
E a vida segue o seu rumo, esquecendo-se de nós, e do sonho que
tivemos um dia.
Cabe-nos a nos lembrar à vida que estamos aqui
e mostrar-lhe que embora nem todos os sonhos se realizem, alguns haverá
que serão realizados.
E cabe-nos a nós lutar por esse sonho, mesmo sem saber se é realizavel algum
dia ou não.
O sonho comanda a nossa vida, e se não sonhassemos que significado teria estar aqui?
E com que fim iriamos viver, se não teriamos pelo que lutar?
Por isso, eu sonho sempre, posso morrer amanhã mas irei sonhar sempre.
E sonho que um dia terei o que desejo, e não baixo os braços enquanto não tiver esse sonho realizado.
E se a morte um dia vier e me disser que acabou, eu terei a certeza que lutei até ao ultimo minuto
por aquilo que acreditava.
Por isso sonha, idealiza, e realiza. E se não o conseguires realizar, não te des por vencido, dá te por feliz
porque um dia sonhaste e lutaste por algo em que acreditavas!

Freddie Mercury ( 05/09/1946 - 24/11/1991)

"Já passaram quase 20 anos da sua morte, mas Freddie Mercury, o icónico vocalista dos Queen, continua a ser lembrado. O tempo não apagou a sua memória, pelo contrário. Se fosse vivo, celebraria hoje a entrada na terceira idade, ou seja, completaria 65 anos de idade. O Google homenageia o músico com um doodlemusical de “Don’t stop me now” e os Queen presenteiam os fãs com a transmissão “Live at Wembley Stadium” na íntegra, no Youtube."


20anos, tinha eu 10 anos quando ele morreu, tão miuda, e ainda me lembro da noticia da morte dele.
Lembro-me que foi perto dos jogos olimpicos de Barcelona (1992) onde ia cantar com a  Montserrat Caballé a musica "Barcelona"!


Continuo a dizer que se perdeu um grande musico e a minha maior pena continua a ser não poder ir a um concerto da banda!





Trabalho

Há gente no meu trabalho por quem tenho um odiozinho de estimação, e eu nem sou de ter ódios assim, mas há por lá algumas pessoas que me dão a volta ao estômago tal qual uma gastroentrite.
E a comichão quando falam?? Nem comento.

Não gosto de gente que se acha melhor que todos, nem gosto de gente falsa!
E eu que sou uma gaja simpática e sou obrigada a falar com essa gente, faço o meu melhor sorriso (amarelo) e toca de falar, mas é por ser obrigada mesmo porque na verdade não consigo mesmo ser falsa e mentirosa e acho que elas notam o meu sorriso especial! Espero mesmo que notem!

Há tanta gentinha neste mundo que podia tão bem ter sido um aborto, ou então foram um aborto mas mal feito!

Sem paciencia é o que é.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Musica

Ando viciada em Muse, tanto que há musicas que nem da cabeça saem... daquelas que chega a um ponto que nos faz ter vontade de fazer reset a ver se ela desaparece dali!

Ontem finalmente perdi tempo a retirar as fotos do telemovel e aproveitei para colocar musicas para ouvir durante o trabalho... E o que pus eu, perguntam voces!

Muse º-O

Mas para contrabalançar e não enjoar meti uma das minhas bandas preferidas que tenho imensa pena que já tenha acabado devido à morte do vocalista, Queen!!!

Simplesmente adoro, e se ele fosse vivo e fizesse um concerto eu estaria lá batida, em primeira fila, nem que tivesse de acampar á porta!!

E musica como esta já não se faz, nem nunca mais se fará.

Pena!

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Gosto...

... de homens que coitados para eles só existe um tema de conversa (sexo).
Gosto mais ainda quando tentamos ter uma conversa normal com esse alguém e este diz que não temos confiança para falar da vida dele.
Ao qual respondo no alto da minha ironia, que calada também não fico, "há confiança para me falares de sexo mas não há confiança para me falares de ti como pessoa?", o rapaz fica possuído e insinua que o acho um tarado e que não o conheço mesmo, síndrome de vitima num gajo fica-lhe sempre bem.

Este mesmo rapaz (coitado), usava-me (como quem diz claro) para sexo telefónico, e por muito que até lhe cortasse as bases ele mantinha-se naquele tema, mas só aquilo mesmo, um dia passo-me (tão típico meu) e numa das suas conversas em que me diz que não há confiança para falarmos da vida, ou de outros temas saio-me com uma bela frase, algo do tipo "Devo-te dizer que não tenho jeito para p... de serviço telefónico, se queres esse tipo de conversas pagas e podes tê-las a toda a hora, mas não é comigo de certeza".

Foram dois dias sem me falar, pensava eu que estava o assunto resolvido, até que ele volta à carga mas desta com conversa mais normal, do dia a dia!
Finalmente lá marcamos uma saída, sem interesses (pelo menos de minha parte), quando acabou o filme não perguntem por alma de quem mas rolou um beijo, até que ele pega e me dá uma ferradela na orelha... sim meus amores uma ferradela que me fez ter a orelha dorida 2dias.
Claro que apenas ficamos por ali. Ele foi embora todo nervoso, eu contive a gargalhada pela situação em si até ele sair.
Mal saiu é que me ri, e só pensava em quantas vezes me tinha dito ele que era bom no que fazia, sensualidade para a frente, sensualidade para trás, etc etc.
Convém relembrar que ferradelas (MEDO) não são consideradas sensuais sim? Pelo menos eu não acho, principalmente quando se fica com marcas por dias sim?!

Depois disto a verdade é que é raro ele falar, eu ainda lhe disse que não era caso para tanto, mas é gajo e como um amigo meu me disse "gajo que é gajo ver que algo corre mal fica assim" lol.