segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Ilusão ou não

Sempre vi o jantar de natal dos sem abrigo como algo bom, dar pelo menos nessa noite algo que durante todo o ano são capazes de não ter, mas agora de repente lembrei-me, será que é mesmo bom dar-lhes por um dia o que se calhar eles queriam ter o ano todo?

Ora vejamos, há sem abrigos que escolheram esse estilo de vida para si mesmos, mas outros há que não a escolheram, as dificuldades de algo chamado vida levou-os a esse caminho. Eu ponho-me a imaginar a dor que deve ser estar numa situação como essa e sem familia, ou pelo menos uma familia presente.
Passam o ano todo à procura de um cantinho para dormir, refugiados do frio e à procura de comida ou então a ir buscá-la às carrinhas, onde os voluntários lhes dão para as mãos uma sopa quentinha pelo menos.
Aqui entra esse jantar que lhes oferecem, isso é dar-lhes um pouco do que se calhar eles sonham a vida quase toda, mas mal acabam o jantar a realidade chama-os e voltam à tal vida de sempre.
Será justo mostrar-lhes ou adoçá-los com algo que não podem ter?

É como eu ter visto a familia que adorava ter e saber que não a posso ter... sim doi e magoa, principalmente quando se luta por isso!
Não o fundamento não é falar de mim, mas de toda a gente a quem dão a ilusão dos sonhos que têm...

2 comentários:

Anónimo disse...

apenas posso sugerir que se nunca foi numa dessas voltas, deveria ir... a verdade é que os voluntarios dao muito mais do que uma refeição. apercebi-me que o importante mesmo é a atenção, são "os dois dedos de conversa" que se dá... é o facto de rirmos das suas andedotas, de ouvirmos as suas palavras, que se torna importante. se é natal ou não, não importa, é apenas mais uma desculpa para uma união, para conversas e gargalhadas... a verdade é que os "sem-abrigo" são invisiveis a maior parte do tempo. passamos por eles na rua, mas nao os encaramos, não os olhamos nos olhos... e nesses dias, eles são o centro das atenções... não será bom? mesmo que nao seja sempre?? não é o pouco melhor que o nada??

Life is what it is disse...

Por acaso já pensei ir numa dessas voltas.
Eu acredito que por pequenos momentos até pode ser bom, mas depois eles tem de voltar à vida que têm... dai falar que é um pouco ilusao porque depois não há mais ninguém que os olhe nos olhos.