terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Natal e passagem de ano

O meu blog é mais para desabafo, os 2 ou 3 gatos que lêem e me conhecem sabem que é aqui que descarrego as más energias para poder levantar-me todos os dias com o sorriso que não me larga e já me é característico, sorriso esse muitas vezes falso, apenas pormenores.
Dai não ter vindo falar do natal e do ano novo, nem ter desejado nada por esta via a ninguém.

Mas sim tive um natal, podia ter sido pior, mas como sempre tirei algo de positivo desse dia. O meu tio com 61anos é um fixola, fomos só nós os dois a falar num grupo de 6 pessoas à mesa onde apenas eu era uma miuda (52, 55, 61, 87, 90 eu 30).
Ri-me bastante com a conversa e tal como no ano passado eram 22h e o natal estava terminado.
Nessa mesma noite fui a casa de um amigo, a familia convidou para lá ir e adorei. Senti-me bem no meio daquelas pessoas e tanto me fez bem como me fez mal, são outras histórias e complicadas de colocar aqui.
No dia de natal estive com quem mais me importava, a minha filha, o meu irmão, cunhada e afilhada.
Não foi o natal que desejava, mas quem sabe se não é este ano, ou no próximo... ou no seguinte... o importante foi ter passado com quem amo.

A passagem de ano foi boa, jantar com os importantes, uma amizade confirmada e para já a manter. 
Fogo na baixa, chouriço assado na Ribeira, muita dança e saltos novamente nos Aliados onde um DJ estava a passar musica.
Absorvi cada bocadinho da noite como sempre faço.
E este ano não pedi nada, todos os anos peço algo e nunca aconteceu por isso este ano decidi que não valia de nada fazer pedidos. 
Espero que este ano seja muito melhor que o ano passado, não que tenha sido um mau ano, em comparação com 2009 e 2010 foi apenas um ano neutro.

E de 2011 retiro:

- O nascimento da minha afilhada, ainda me lembro de sair do trabalho a correr para a ir ver.

- Decidi pensar mais em mim e tratar de mim, emagreci 10kg, espero emagrecer mais 10 este ano. Mudei um pouco a forma de vestir, e espero continuar com esta minha ideia de mudar e me sentir melhor na minha pele.

- Cresci muito interiormente, ainda tenho muito mais para crescer, aprendi a seleccionar melhor as pessoas, aprendi a não dar importancia a certa gente, exclui por completo algumas pessoas que me fizeram mal ou simplesmente não as queria como amigas, tornei-me mais selectiva, mais prudente, mas ainda assim tenho de aprender algumas coisas como não me entregar demais a certas situações.

- Acabei uma relação que não me sastifazia, apaixonei-me sem saber como e ao mesmo tempo o encanto passou ao conhecer melhor a pessoa. Pela 1ª vez olhei para uma pessoa pelas qualidades que procurava em alguém, descobri o que procurava, aprendi que se pode aprender a amar alguém, mas que infelizmente nem toda a gente pensa como eu, e que há gente que apenas não quer ser amada ou amar. Voltei a entregar-me demais, errei, mas estou mais adulta para aceitar os nãos que a vida teima em me dar. 

- Aprendi que não preciso de ninguém para ser feliz, aprendi a viver sozinha, fiz uma escolha na vida e comecei a sair pela primeira vez aos 30 anos.

- Fiz novos amigos, ganhei mais conhecidos que quem sabe um dia se tornam amigos ou não.

- Reencontrei amigos de há 10anos e 15anos e percebi que embora os anos passem há pessoas que não evoluem e não saem dos 15anos (diria até 10anos), afastei-me dessas pessoas, perdi a paciência para gente infantil.

- Apanhei alguns sustos no campo saude, sustos esses que tem de ser vigiados para o resto da minha vida.

- Percebi e comecei a entender melhor a minha filha, assumi que me afastei dela nestes ultimos 2anos, errei muitas vezes, alturas houve e há que me senti/sinto má mãe, mas tenho noção que a minha vida não ajudou nem ajuda em nada. Descobrimos o problema de hiperactividade dela, ando a tentar melhorar a minha relaçao com ela, confesso que há dias complicados, apenas por minha culpa.

- Cheguei aos 30anos, passei a meia noite dos meus anos na praia, sozinha, a renovar energias, a apreciar o silencio, o mar, a areia, a lua e as estrelas. Algo que ficará sempre guardado.

- Foi a primeira vez que perdi as forças, que baixei os braços, que tive ataques de panico, que andei dias sem dormir e sem comer, que chorei por me sentir a pessoa mais fraca do mundo. Mas tambem foi nessa altura que em vez de aceitar essa condição peguei em mim, mesmo sem força, e me retirei de casa. Comecei as caminhadas, quando me sentia mal ia até à praia respirar fundo, comecei a sair com pessoas para me distrair. Pela primeira vez aceitei que tenho de andar com um SOS (Victan) atrás de mim, cheguei a ter de tomar algumas metades para acalmar os ataques de panico, nessas alturas sentia-me estupida e fraca, sentia que ia morrer, a sensação é horrivel e para alguem que gosta de ter controle é algo muito mau. Não desejo a ninguém. Mesmo assim não me dei nem dou por vencida, não fugi de nenhum dos sitios onde tive os ataques, alturas há em que me sinto pior, dias há em que consigo controlar o medo. Percebi que me sinto pior em sitios fechados, mesmo assim não os evito.

- Ri, chorei, tive muitas vezes vontade de gritar e desaparecer para um sitio desconhecido durante uns tempos. Pensei agarrar-me a Deus, alturas há em que tento entende-Lo, outras há que não entendo. Continuo a tentar encontrar-me, ou melhor dizendo continuo a tentar encontrar o meu centro ou o meu balanço para me sentir bem com a vida.

Não me lembro de mais nada que me tenha marcado em 2011, olhando para este ano realmente foi um ano neutro, apenas de descoberta interior, de algumas quedas... mas nada que me mate.

Continuo à espera do ano que me trará apenas paz... de resto já não peço nada. 

Bom ano para todos.


8 comentários:

Su disse...

Fofinha,

penso que aprendeste coisas muito importantes sobre ti e sobre o que queres ou não para a tua vida. A+prendeste a ouvir o silêncio e ler nas entrelinhas. Penso que são grandes lições para se aprender e que fazem de 2011 um ano especial.
Em numerologia o 2011 foi ano de semear, 2012 será de crescer e 2013 então será para dar frutos do que semeamos e cuidamos durante os anos anteriores.
Acho que preparaste bem o solo. Tens este ano para trabalhar esse solo para que ele dê bons frutos nos anos vindouros.
beijocas linda e desculpa a longa aula de agricultura

Confuskos disse...

"Cheguei aos 30anos, passei a meia noite dos meus anos na praia, sozinha, a renovar energias, a apreciar o silencio, o mar, a areia, a lua e as estrelas. Algo que ficará sempre guardado"

Que grande ideia para a meia noite dos meus 30 anos!! Pena ser a 2 de Outubro e cheira-me que o frio me vai dissuadir, mas que é uma grande ideia é!! ;)

Um excelente 2012 para ti!

Beijinho*

Life is what it is disse...

Sou mais velha que tu??!! Xiiii!!!
Foi uma fase má da minha vida, descobri que podia ter uma doença grave, ao mesmo tempo não gostei da ideia de fazer 30 anos e ter a vida como tinha. Tudo junto fez rebentar o saco, e a minha fuga é a praia à noite. Lembrei-me que era a passagem ideal e marcante, adoro coisas que me marquem e me façam feliz, num dia mau que devia ser feliz que melhor que praia, estrelas, mar, silencio, apenas eu e os meus pensamentos, o ver a meia noite passar e receber uma chamada do meu irmao e cunhada...
Não queria festejar os meus anos, e acabei por fazer festa e tudo, renovada :D

De ser em Outubro... ainda ontem estive no meu cantinho... e vi uma estrela cadente lol quero la saber eu do frio :P

Confuskos disse...

Compreendo perfeitamente o teu ponto de situação nesse dia!!

Também tenho medo de chegar ao dia 1 de Outubro deste ano e não conseguir evitar fazer uma retrospectiva da minha vida inteira... :(

É como tu dizes, há sempre alguém que está pior do que nós, mas na verdade é essa capacidade de estar sempre insatisfeito que nos faz evoluir, vencer novos desafios e por isso nos desilude não estarmos melhores... mais realizados!

tenho medo desse dia....

Beijinho*

Life is what it is disse...

Mas qual é o medo???! Todos um dia temos de pensar nisso, se calhar é uma forma de vermos o que fizemos de mal e tentar mudar.
Não tenhas medo.. ;)

Do insatisfeito, eu tenho um sonho e é isso que me mantem agarrada e em luta, já pensei "e se um dia encontro o que quero? onde me agarro?" e depois pensei... nós temos sempre sonhos, alguns mais importantes outros menos, por isso se conseguir realizar este sonho tenho certeza que terei outro :D

Confuskos disse...

Medo de... concluir que sou "mais pequeno" do ás vezes penso que sou!

Medo de... ver como realmente sou!

Medo de... pensar no que ia ser e comparar com o que acabei por ser!

Medo de... pensar nos limites que vida impõe cronologicamente e começar a excluir o que já passou e não volta atrás!

Medo de... ter medo!

Life is what it is disse...

Todos nós temos de saber quem somos... que vida podemos ter nós se não soubermos isso?
Acaba por ser o que acontece com o tal rapaz que andei, ele não sabe quem é, então tem várias personalidades, e sente-se confuso porque não se encaixa na vida dele, então tenta ser o que não é...
tambem eu já tentei ser o que não sou.. não resultou, não me senti eu, fiquei confusa, e acabei por perceber que mais vale o que sou do que ser como os outros ou como gostaria de ser.

Por isso não tenhas medo, pensa apenas que com o que podes descobrir de ti podes mudar a tua vida, ou mudar apenas a tua forma de ver as coisas.
Eu sei quem sou, o que me fez pensar em Agosto foi que cheguei aos 30 e não realizei o meu maior sonho.
Percebi que tenho de excluir pessoas que me fazem mal, da minha vida.
Percebi que não vale a pena sofrer por quem não o merece.
Imagina que a tua cabeça é uma comoda enorme onde guardas a tua vida, cada coisa por cada gaveta. Digamos que eu nesse dia peguei na maioria dos meus problemas organizei-os e arquivei-os nas gavetas respectivas.
Aliviou-me e muito, deu para me erguer, deu para estar menos ansiosa para me levantar e seguir para mais uma luta.

Medos todos nós temos, e terás sempre. Mas não deixes que o medo te prenda a vida!

Agora do que disseste... porque te achas pequeno? Referes-te ao quê?

Comparar o que querias ser, nunca somos o que queriamos ser. A vida dá muitas voltas, nós mudamos com ela, aceitamos os novos caminhos, e acabamos por perceber que muito do que queriamos ser não o fomos, cabe é a nós aceitar os nãos da vida, assim não ficamos frustrados.

Do voltar atrás.. não a vida não volta, passado é passado, tens de te agarrar ao que ai vem e aos anos que ainda poderás ter, começa hoje a fazer o que querias, sem olhares para trás.

Hás de me dar o teu mail que assim falamos mais a vontade que falar de coisas mais pessoais aqui já é muito publico lol

beijinhos

Confuskos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.