terça-feira, 17 de janeiro de 2012

O meu irmão

Li um texto sobre e irmãos e lembrei-me do meu.
Todos nós temos de ter alguém com quem contar na vida, alguém que mesmo não estando presente todos os dias o está.
Alguém que mesmo nós pensando que está longe não o está, e nós sentimos isso, não precisamos daquela presença constante, não precisamos da pergunta diária "está tudo bem?", não precisamos do gosto de ti constante porque no fundo sabemos que aquela pequena parte nos pertence, é nossa, não porque o definimos mas porque foi gravada em nós um dia e o meu irmão tem uma parte dele gravada no meu coração e nunca sairá de lá, passem os anos que passarem, mesmo quando nos chateamos por sermos opostos em quase tudo.

Lembro-me vagamente da gravidez da minha mãe, apenas me lembro de ela ir para a maternidade para o ter.
Não me lembro de ele vir para casa, mas lembro-me de pensar "eu não pedi nada disto", lembro-me de aos 4anos irmos ao Palácio com os meus pais e ele estar ao meu colo (existe foto dessa altura), lembro-me de lhe roubar a chupeta porque se ele tinha direito a ela eu também tinha.
Lembro-me dos ciumes que sentia, porque a minha mãe a mim não ligava nenhum mas ele estava ali no berço ao lado da cama dela e na casa dela, eu em contrapartida estava na casa da minha avó e dormia com ela.
Não que me sentisse arrependida (hoje muito menos), com quase 4anos não sabemos o que é arrependimento, mas pensava porque o tinham escolhido a ele e não a mim.
Daí para a frente, até aos meus 12/14 anos simplesmente não me dava bem com ele, alturas havia que me perguntava porque tinha ele nascido.
Tinha tudo dos meus pais, era sempre o favorito, o escolhido, o rapaz que todos queriam, e eu sempre me senti de parte.
Ele mimado como era (eu também mas mimada com amor, não com aquele tipo de mimo que o fazia achar-se o maior) achava que podia fazer tudo à maneira dele e conforme queria e eu educada de forma diferente nunca entendi aquela raiva dele, aquele mau perder, aqueles nervos próprios dele que descarregava muitas vezes em mim, hoje entendo!
Era raro o ai ou ui que eu desse, ficava magoada mas calada no meu canto como sempre o fiz e por vezes ainda hoje faço.
Mais tarde quando fui morar com os meus pais tive de conviver com ele também, os primeiros tempos foram complicados até que um dia me adaptei a ele.
Ambos crescemos, percebemos que no fundo só nos tínhamos um ao outro porque os nossos pais afinal minavam a nossa irmandade, nada mudou quanto às regalias que ele tinha e eu não, mas o engraçado é que nunca me afectou o ele ter mais ou menos que eu, apenas pensava que a relação que tínhamos ganho naquele ano era mais importante que todos os bens materiais que lhe podiam dar e a mim não.

Tinha eu mais ao menos 15 e ele 11 quando percebemos que algo nos ligava, numa brincadeira parva, num daqueles dias em que os nossos pais não estavam em casa e só chegavam às 21/22h da noite.
Lembro-me daquele dia como se fosse hoje, valia de tudo para ver quem molhava mais quem, entre bacias cheias de água e a mangueira de regar o jardim. Lembro-me das gargalhadas com frases do tipo "se eles chegam estamos feitos".
Lembro-me de vermos as horas passarem e nos irmos secar à pressa com a jura que aquilo seria algo só nosso, como se de um segredo importante se tratasse e nessa altura entendemos o que nos unia, e dessa altura até hoje sei que não viveria sem ele e digo muitas vezes que ainda bem que ele nasceu e faz parte de mim.

Sim já tivemos muitas chatices como todos os amores têm, mas sempre soubemos que para lá das divergências nos tínhamos e muitas vezes o deixei ganhar as batalhas, para quê ganhar algo se o mais importante era eu dar-me bem com ele?

E hoje digo que um dos meus maiores medos é perder o meu irmão, não saberia viver sem a certeza de que ele estava ali a meu lado como está mesmo não estando.
Não saberia viver sem ele, sem as suas chatices, os seus amuos, o seu egoismo pelo mimo que tem de todos os que o amam, sem o ver chateado comigo pela vida que tenho, sem o ver magoado porque quer o melhor para mim e sabe que nada pode fazer. Não saberia viver sem este imenso amor que sei que tem por mim e eu por ele.
Viraria o mundo por ele, seja pelo que fosse.

E a ti agradeço tudo, fazes parte de mim e sempre farás é a única garantia que tenho é a vantagem que existe nos irmãos, nunca o deixarão de ser e ainda bem que assim o é.


 

14 comentários:

Confuskos disse...

Life... que texto lindo!!!

Forte, simples e sentido! Da forma como escreves, é de cortar a respiração! Que grande homenagem!

O que vale é que os homens não choram quando lêem textos que tocam no coração, se não tinha de ir a correr à casa de banho disfarçar e respirar fundo por uns momentos... venho já!

Bjo*

Life is what it is disse...

Eu gosto de coisas simples mas saidas do sitio certo dai escrever com vontade :)

Ainda não respondi ao teu mail porque quero le-lo de novo ;) com mais tempo e com olhos de ler e cabeça no sitio!
Desculpa estar a demorar, mas mal de prometo que respondo!

beijinhos e obrigada pelo elogio :D

Confuskos disse...

Lolll!!

Beijinho grande*

Anónimo disse...

Que homenagem linda :)
Eu tenho 2 irmãos (gajos!!!) mas eles têm-me muito respeito pois eu sou a mais velha eheheh e obedecem-me que é uma coisa doida...as mulheres é que não acham muita piada :))

Tu e o confuskos...hummm...romance no ar? hihihihihi


ISA

Life is what it is disse...

"Tu e o confuskos...hummm...romance no ar? hihihihihi "

Dona Isa :P não linda o Confuskos tem um blog que adoro ler.
Começamos a trocar impressoes por comentarios mas começava a ficar explicita demais a nossa vida e decidimos trocar mails.
:)

E tu como tens estado?

Beijinhos! :D

Su disse...

Love is in the air!
E é lindo.
teria ficado também com a lagrima no canto do olho não fosse a minha relação com o meu irmão estar como está...ou não está?!...
Sei lá.
Sei que um dia também pensei que nada nos poderia separar apesar de nunca termos sido próximos, mas infelizmente, com o tempo, foi apenas mais uma pessoa que se aproveitou, cupiu e deitou(-me) fora. Pior, estou ligada a ele de formas de que não me posso libertar e ele não tem o minimo respeito por mim ou pelo impacto que as suas decisões inconsequentes podem ter em mim ou na minha família.
Ainda bem que há melhores.
na minha família...já deixei de ter fé de alguma vez sair alguma coisa de bom.
Sorry pelo pessimismo.
Beijocas linda

Life is what it is disse...

Amor está no ar???
Ai esta gente... estou feita!
lol
Su tudo há de melhorar um dia ;) vais ver!
alguma coisa é so dizeres :)
beijinhos

Lucas disse...

Muito bom, Lois Lane.

Manda este texto à minha irmã :P

Life is what it is disse...

Podes copiar e enviar ;)

Lucas disse...

Se for eu a enviar, ela não acredita :P

Life is what it is disse...

A serio??! Irmao desnaturado!!!

Lucas disse...

hei! Eu sou um *EXCELENTE* irmão :P

Life is what it is disse...

Entao qual o motivo de ela nao acrediar em ti? lol

Lucas disse...

É por eu ser demasiado excelente :P