quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Sem tecto

À porta do meu prédio, há uns tempos atrás, dormia um sem abrigo.
Duas ou três caixas de papel e lá estava ele, enrolado.
Como sei que aquela zona é fria de noite, lembrei-me de um cobertor sem uso que tinha e lhe podia dar. Como tudo na vida, ou pelo menos na minha vida, chegava a casa e acabava por me esquecer disso.
Mais tarde reparei que o senhor já lá não dormia.
Fiquei na duvida se o tinham mandado dali embora ou se por ele mesmo tinha ido para outro lado.

Ontem lá estava ele deitado, não sei se era o mesmo ou não, mas fez-me confusão ver ali o homem deitado no chão, sem nada a cobri-lo e sem nada a tapar o chão frio em contacto com o corpo dele. Subi a casa e procurei o tal cobertor, descobri que já não o tinha.
Arranjei uma manta que usava no sofá.
Como nunca sabemos se eles aceitam ou não a nossa ajuda, pedi ao meu irmão que fosse ele dar-lhe a manta para pelo menos se cobrir.
O senhor ao inicio disse que não, mas depois lá aceitou e perguntou se tínhamos sumo porque tinha sede. O meu irmão acabou por lhe dar umas moedas para ele ir comer alguma coisa.
Claro que ele pode usar as moedas para o vinho, mas isso já vai da consciência de cada um.

Ao vê-lo todo empenhado a fazer a sua "cama" com a manta decidi que dar dinheiro não ajuda em nada, subi mais uma vez enchi uma garrafa com água ao qual adicionei um pouco de sumo daqueles instantâneos, cortei uma fatia grossa de pão que tinha comprado, e levei-lhe.

Recebi um sorriso desdentado sincero, com um "não era preciso menina". Colocou tudo pertinho dele e no fim agradeceu várias vezes. A ultima palavra deixou-me a pensar... "thank you very much".
Custa-me ver ao ponto que a vida de uma pessoa pode chegar, não sabemos o nosso futuro e hoje são eles amanhã podemos ser nós. Sei que muitos fazem disso opção de vida, sei que muitos estão ali porque não tiveram juizo, sei que alguns continuam a não ter juizo mas também sei que nos dias de hoje ninguém está livre de um dia ficar sem nada.

Podia ter-me sentido feliz por o ter ajudado, mas apenas me senti pequenina quando entrei dentro de casa e senti o calor do meu lar.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Ele

Ontem deu um passo de gigante, disse aquilo pelo qual esperava há 4meses, tem-me mostrado com actos tudo o que eu queria e continua perfeito como até hoje.
Mas no momento que ele me disse aquilo e deu um outro avanço em direcção a mim eu senti-me fraquejar, e as pernas tremeram, e bloqueei!

Claro que ele reparou, claro que me perguntou quais os meus medos, assustou-se com a possibilidade dos papeis se inverterem e agora ser eu a fugir dele. E eu lá expliquei os medos, expliquei o aperto que sinto e como ele já passou pelo que eu passei entende-me e é nisto que somos perfeitos e encaixamos, nisto e muito mais. Entendemo-nos!

E em vez de estar a aproveitar cada minuto de felicidade com ele, dou por mim com um aperto e uma ansiedade parva, porque...

- E se corre mal
- E se é tudo muito rapido
- E se ele foge de novo
- E se eu o magoo
- E se ele me magoa
- E se mudarmos os dois daqui a uns tempos e virmos que afinal não é tão perfeito

Um mundo de ses parvos, e como sempre dou por mim a complicar as coisas, tudo e só porque é bom demais, porque comigo nada é perfeito, há sempre algo que corre mal.
E proferir facilmente as palavras "estou feliz" assusta-me, porque a vida é madrasta e nunca me deu descanso e agora que mo está a dar por algum tempo indefinido eu fico paralizada.

Mas sim estou feliz, e como diz uma amiga minha "dá gosto ver-vos juntos, é como se vocês fossem as ultimas peças de um puzzle, e juntos completam-no".
E eu apenas digo "Por isso mesmo é que esperei por ele, por isso mesmo é que o deixei voar quando o queria perto de mim, por isso mesmo é que esperei que ele pusesse as ideias em ordem... e voltava a fazer tudo de novo".

Agora é tentar desligar-me dos ses, dos medos e aproveitar o que de bom temos, e se um dia correr mal é porque teve de correr.
(repetir isto mil vezes na minha cabeça a ver se encaixa bem)

Adenda: Os que aqui me seguem e me conhecem, não não esqueci de ninguém, nem esqueço as amizades, apenas ando empenhada em mim e na minha vida, pelo menos para já. Os amigos verdadeiros entenderão e saberão que seja para o que for continuo por aqui!!!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Ginasio

Vamos falar de coisas interessantes?

Comecei o ginásio há uma semana, as corridas com este frio não me cativaram então recorri a algo que andava a fugir há uns tempos.
As desculpas eram variadas "sozinha é chato", "dar tanto dinheiro", "depois não vejo resultados e desanimo" entre outras.
Mas fui contra a minha preguiça.
Sozinha nem é mau, acabamos por nos habituar e lá no ginásio não falta gente.
Por agora estou a adorar o ambiente, os professores são muito simpáticos e sempre prontos a ajudar.

O dinheiro é uma questão de lógica, o valor não é elevado e entre a tv cabo e o ginásio prefiro olhar pela minha saude e bem estar. A tv cabo mais mes menos mes vai à vida, é raro ver tv e a minha filha tem dvd para ver os desenhos animados.

Dos resultados e desanimar, só com tempo. Noto que a celulite diminuiu, e para não desanimar escolhi aquele ginásio porque tem uma aula que sempre quis tentar, Body combat.
Já fui a duas aulas e adorei sem duvida. Ainda me perco um pouco (é bonito de se ver), mas lá me arranjo.
E sim aquilo puxa mesmo, não me lembro de transpirar tanto. Depois como é divertido mesmo a sofrer a aula passa super rapido e queremos sempre mais um pouco, ou então é o corpo que pede mais um pouco!

As aulas não eram para ser feitas já, a professora que me fez a avaliação fisica disse-me que aquilo era muito puxado para a minha condição fisica e que não iria já aguentar a aula toda.
Na segunda fui ter com outra professora e perguntei se podia ao menos ver a aula, apenas para ver se gostaria ou não, se era algo dificil etc.
"oh para ir ver faz tambem a aula"
Lá lhe expliquei que não podia porque a outra professora tinha dito que não para já, e que também ainda me sentia envergonhada e tal e que só queria mesmo ver.
Quase nem tive tempo de falar, arrastou-me enquanto dizia "vá se não aguentares a aula toda sais a meio mas vais experimentar".
E ainda bem que o fiz.
Quando sai da aula, que aguentei até ao fim, encontrei a professora da avaliação.
"Então Life? Onde foste?" porque deixou de me ver no cardio.
"fui à aula de body combat"
Cara de pasmada " e então?"
"aguentei a aula toda e adorei"
Ar de preocupada, porque já tinha feito 1hora e pouco de cardio e fui fazer a aula depois disso... "Então por hoje já chega, vá ... embora" enquanto se ria!

Soube bem ter ido contra o meu pensamento do "sera que nao consigo", soube bem ter aguentado a aula toda e agora é certinho... 1 aula de cardio e 2 de body combat por semana!!

O meu peso não mexeu continuo entre 67/68 kg mas nesta altura evito pesar-me porque tenho noção que ao desenvolver os músculos estes pesam mais.
Próximo passo, regrar-me no que como, isso sim é que custa. Comer de 3em 3 horas não é para mim, como muito pouco e comer tanto faz-me confusão.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Eu e as relações

Descobri hoje ao pensar demais como sempre que...

Eu quero muito uma relação, quero a familia que sempre quis, e luto por essa relação.
Mas quando me vejo dentro da relação a insegurança é tanta, o medo é tanto que a primeira coisa que penso é fugir, a ansiedade dá-me para comer doces... e a fuga torna-se parte dos meus pensamentos.
Ou resolvo este meu problema ou não vou ficar bem!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Falar

Falar de coisas más é muito fácil, a escrita começa e flui com facilidade, a alma fica aliviada, o desabafo acalma a ansiedade e aquelas palavras tornam-se uma terapia para o que de mau se vai passando.
Neste momento gostava de conseguir libertar tudo o que de bom se está a passar, mas o medo é tanto de que tudo volte ao mau que me tenho mantido caladinha, tenho estado ali entre a linha da felicidade e o outro lado da linha que é onde tenho um dos pés.
Mas gostava que tudo o que sinto fluísse, que cada momento que tenho vivido como se fosse o ultimo e que cada pedacinho de tempo absorvido nestes dias conseguissem sair para o papel, queria, para um dia poder recordar, para um dia reler e ver como a vida consegue dar tantas voltas.
Mas depois vem o medo, o receio, a frase "é bom demais para ser verdade" e mantenho-me ainda ali nas reticencias... quem sabe, um dia se sair das reticencias, talvez consiga exprimir tudo.
Para já estou feliz, é só isso que me importa, e espero mesmo que seja desta vez que a vida tenha decidido que chegou a minha altura, e espero um dia poder contar as voltas e revoltas que a minha vida já deu, mas dessa vez já sem medos.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Sao Valentim

Sim o jantar foi a 4, melhor não podia ser, e sim queixei-me deste dia ainda há uns dias mas isto prova como a vida todos os dias muda.
Recebi uma rosa sem contar, e dançamos, e ele deu um passo de gigante em direcção a mim, e mais podia escrever mas chegou aquela fase em que começa a ser muita gente a conhecer-me no blog e há coisas que o melhor é escrever num caderno, um mundo apenas e só meu!!

E importante é dizer que começo hoje as minhas idas ao ginásio, vamos lá ver como vai correr.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Da simplicidade das coisas

Fondue de chocolate com morangos, um postal e um chocolate de culinária, um sorriso, um beijo que significou mais do que mil palavras.

Um jantar a 4.... quem disse que para ser perfeito tinha de ser a 2?!

Há coisas tão simples e que contam muito mais do que idas a restaurantes, cinema ou outra actividade qualquer.

E como para mim é apenas o dia do amor e esse devia ser todos os dias aproveito para dizer ao meu irmão, cunhada, afilhada, filha, entre outros que vos amo!

E não, não digo apenas hoje, aproveito vários momentos para lhes dizer o quanto são importantes na minha vida!

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Selo

Pela primeira vez recebi um selo, foi enviado pela Marciana, obrigada!!


E as regras são:

1) Link de volta com o blogger que lhe deu;
2) cole o selinho em seu blog;
3) Escolha 5 blogues para repassá-lo, que tenham menos de 200 seguidores;
4) Deixar comentário avisando que estão recebendo o selinho.



Como eu leio os blogs no google reader não sei a quem devolver o selo, mas vou deixá-lo aquelas pessoas com quem falo mais.


Ao Confuskos a ver se o amuo passa!
À Filipa, não coloco o blog porque é a minha cunhada e não sei se ela quer que se saiba o blog (adoro-te gaja).
À Su que tem sempre uma palavra sábia para me deixar, obrigada!!
Ao Lucas que embora não ligue a estas coisas é uma pessoa com quem falo bastante também, e porque temos algumas picardias engraçadas... 
E por fim ao Menino da sua mãe porque é um blog que gosto de ler, mas também porque conseguiu ter resposta para o Lucas num post que fiz um dia destes... gostei de ler as ideias de ambos!


Concurso da Ni

É a 1ª vez que participo num concurso e é a primeira vez que vou pedir que votem na minha frase (se gostarem dela claro)!
É a numero 21 do lado direito do blog!
Aqui fica o link :)

http://ni-entreamigos.blogspot.com/

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Das incertezas dele

Segunda feira falou-me de novo sobre o termos de nos afastar, eu mentalizei-me a semana passada que o melhor seria mesmo isso, mas ele não se afastou, todos os dias me liga, mas eu continuo na minha, amigos e só amigos!

Ontem já estava com falinhas mansas, hoje perguntou-me se queria ir ter com ele.

Mas o melhor veio durante a conversa, perguntou-me se eu iria morar com ele e que estava a falar sério... eu fiquei sem reacção ao telemovel enquanto ele repetia que estava a falar sério!
Claro que eu disse que não, que se me juntasse a ele sabia que nos iriamos separar mais cedo ou mais tarde e a minha intenção não é essa. E a conversa continuou, com ele a falar comigo como se no futuro fossemos estar juntos e engloba o filho na conversa... e eu a metade do que ele disse nem respondi e ignorei.

E é com isto que ele me confunde e mata, mas desta vez não vou cair à primeira como sempre, desta vez vou-me manter no meu canto como até agora. Vou-me manter com a conversa de segunda quando eu decidi seguir em frente, e o que tiver de ser será.

E claro que me custa esta história toda, porque sentindo o que sinto por ele a vontade é de estar com ele, mas tenho noção que desta vez não dá, não posso estar com ele, assim nunca saberei o que o prende a mim... se é algo que possa sentir ou se é apenas a garantia que ele precisa de que estou aqui para ele sempre pronta... e isso não quero. Quero que ele venha ter comigo porque decidiu que está pronto para uma relação e que realmente sente algo por mim.

E não não sou tão tapada quanto ele acha que sou, faço-me é muitas vezes de burra... infelizmente!

Sleeping At Last- Turning Page



I've waited a hundred years, But I'd wait a million more for you
Nothing prepared me for, 
What the privilege of being yours would do. 

If I had only felt the warmth within your touch. 
If I had only felt how you smile when you blush. 
Or how you curl your lip when you concentrate enough. 
Oh I would've known what I've been living for all along. 
What I've been living for. 
[ Lyrics from: http://www.lyricsfreak.com/s/sleeping+at+last/turning+page_20990608.html ] 
Your love is my turning page, 
Where only the sweetest words remain. 
Every kiss is a cursive line. 
Every touch is a redefining phrase. 
I surrender who I've been for who you are, 
Nothing makes me stronger than your fragile heart. 
If I had only felt how it feels to be yours 
Oh I would've known what I've been living for 
What I've been living for 

Though we're tethered to the story we must tell, 
When I saw you, well I knew we'd tell it well. 
With a whisper, we will tame the vicious seas, 
Like a feather, bringing kingdoms to their knees.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

As palavras que (talvez) nunca te direi


Se o amor fosse definível diria que amo a tua imperfeição, porque é nela que encontro o meu verdadeiro amor por ti.
Porque abraços e beijos todos temos, a essência do amor está em aceitar e amar a imperfeição da outra pessoa!




Quando escrevo algo assim a pensar nele... percebo no que estou eu metida!

Remember me 4


Aidan Hall: [to Ally] He's in love with you. I've only ever seen him look at one other girl the way he looks at you, and she's a lot shorter and shares his DNA. 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Remember me 3


Tyler: Gandhi said that whatever you do in life will be insignificant, but it's very important that you do it because nobody else will. Like when someone comes into your life and half of you says: "You're nowhere near ready". And the other half says: "Make her yours forever". Michael, Caroline asked me what would I say if I knew you could hear me. I said: "I do know. I love you. God, I miss you, and I forgive you. 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Complexidade do amor

Quem conseguir definir o amor não ama.
O amor por si só é indefinivel, por mais que se queira dizer o quanto se ama as palavras não saem, podemos tentar, e ir ao fundo da nossa alma, do nosso coração, mas não encontramos palavras para definir a não ser dizer o que amamos naquela pessoa.
E quando dizemos "amo-te", quem ouve esta palavra por vezes não sabe a imensidão de sentimentos que ali está contida, numa mera palavra com 5 letras.

Mas o amor não é fácil, seja amor de filho, seja amor entre homem e mulher, seja amor pela familia, seja amor por Deus, todo o tipo de amor que possamos conhecer.
O amor tem de ser trabalhado, tem de ser mostrado, não por palavras mas por actos.

E hoje em dia já não há paciencia para o amor, não há maturidade, e muitas pessoas nem sequer sabem o que é amar. Como não sabem o que é amar acabam elas mesmas por não saber o que é serem amadas.
E vivem relações fugazes, onde dão tudo, onde se esgotam, e onde ao minimo problema desistem da pessoa que outrora era tudo na sua vida.
Já não há o acreditar no amor eterno.
O amor dá luta, dá trabalho, tem de ser construido, e quando algumas pedrinhas caem do seu muro, temos de ir lá e retocar, sempre, para que esse mesmo muro se mantenha completo e não caia!

O amor é dar e receber, o amor é visto em pequenos actos e não em grandes demonstrações, e sim haverá aqueles dias muito maus, em que o muro ameaça ceder, mas se duas pessoas se amam e se completam, ambos, num só terão força suficiente para segurar esse muro.

Muito mais poderia falar sobre este sentimento estranho, sobre este sentimento que tanto nos põe com um sorriso enorme no rosto como nos põe a chorar, que nos põe no topo do mundo como nos põe cá em baixo. 

E depois de muito escrever aqui se comprova que o amor não se explica, apenas se sente, e se demonstra!

remember me 2


Tyler: Whatever you do in life will be insignificant, but it's very important that you do it. Because nobody else will. Like when someone comes into your life and half of you says you're nowhere near ready, but the other half says: make her yours forever.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Remember me 1


Ally Craig: I have my dessert first. 
Tyler: Is that a political statement? A medical condition, perhaps? 
Ally Craig: I just don't see the point in waiting. I mean, what if I die while eating my entree? 
Tyler: Is that probable? 
Ally Craig: It's possible. What if I choke? What if an asteroid come hurling down onto the restaurant?... I'll tell you what, if you swear on your eternal soul that I'll make it through my entree, then I'll wait. But before you answer, consider that if something does happen, you'll have to live the rest of your life knowing that not only did you lie to me, but you denied of my one last indulgence. Are you prepared to shoulder that kind of responsibility? 

Vingança

A ultima que ouvi dele é que quer vingança da ex, e como quer isso não pode ter relação nenhuma!
Já percebi que não vou conseguir tirar-lhe isso da cabeça e muito menos do coração, vejo a raiva nos olhos dele quando fala nisso e vejo a convicção dele nisso.

Acho que prender a vida a uma vingança infantil é uma estupidez, uma perda de vida e de tempo, uma perda de energia que um dia o vai esgotar (ou não), e eu vou ter de me manter longe, continuar a minha saga que é esquece-lo.

Na minha opinião as vinganças nunca levaram a nada e acho que as pessoas acabam por cair sozinhas. Como aquele que foi o meu grande amor um dia... ele merecia uma vingança, merecia que o gozasse um pouco como um dia me fez... mas não me dei nem me dou a esse trabalho. Passado 1 ano e pouco da nossa separação, ele está sozinho, a morar com a mãe, não me parece que seja feliz e já me pediu para voltar. Não precisei de vingança nenhuma, ele caiu sozinho. Acho que agora namora com uma miuda de 24anos, ainda nem entendi bem!

A vingança não leva a nada, porque a dor que temos no peito tem de desaparecer com o tempo, e não vai ser a vitoria da vingança que vai acalmar a dor!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Remember me



"If you could hear me, I would say that our finger prints don't fade from the lives we've touched"





Amizades

Percebemos quem são os amigos quando estes olham para nós e dizem "não estás bem".
Tempos houve em que enganava bem com o meu típico sorriso, mas esse sorriso desapareceu há umas semanas e ainda não voltou.
E já ouvi de dois amigos "precisas de mimos", andarei tão transparente?

Respondi a um deles que é apenas o cansaço, que é muito tempo numa luta sozinha, a fazer tudo sozinha e que pela primeira vez na minha vida confirmava que sim é verdade que preciso de mimo, não de mimo que um homem dá a uma mulher mas de mimo de um amigo (a). Detesto o posto de coitadinha, sempre me arranjei sozinha, sempre lutei sozinha mas desta vez está difícil sair de onde estou.

E a resposta dele foi uma metáfora a algo que um dia destes eu lhe disse :

"não é preciso andar sempre a lutar mulher, deixa o comboio passar um bocadinho, se fores sempre a conduzir não vês a paisagem... :)"

Isto porque eu lhe disse que adorava conduzir, a única altura que não gostava era em viagens porque adoro ir sossegada a mirar a paisagem e tirar fotos!

E são estas pessoas que ainda me arrancam um sorriso, às vezes forçado mas está lá...

sábado, 4 de fevereiro de 2012

A estupidez do ser humano

O ser humano tem coisas estranhas, não há duvida disso, senão vejamos.

Eu sempre dei tudo, nas duas ultimas relações que tive, as mais sérias, dei tudo de mim, lutei, rastejei quase para que tudo desse certo. Lutei por um casamento até o meu amor por ele acabar. Lutei pelo que considerei o amor da minha vida até ele sair de casa e desistir de nós, quando não fez quase nada por nós.

Quando o meu amor por eles terminou, eu desisti de ir atrás, desisti de lutar por aquele amor que já não existia.
Depois de eu desistir.... os dois tentaram voltar para mim.

O meu ex marido, aquele que não queria saber do casamento para quase nada, que me traiu, quando percebeu que eu estava a falar serio quando falei em divorcio tentou voltar atrás. Houve até uma fase muito complicada para mim, vê-lo a chorar à minha frente foi algo que nunca esquecerei. Naquela altura roguei-lhe pragas e disse de forma a que ouvisse "é pelos anos que chorei eu", hoje percebo que quando nos cai a ficha e percebemos que podemos perder o que parecia certo, magoa!
Hoje e passado três anos voltou mais uma vez a falar-me de nós. Como nos damos muito bem hoje em dia e temos uma amizade que poucos entendem, diz ele que tem pensado nisso estas noites e que se calhar até podia dar certo entre nós de novo!
Que temos uma filha em comum, que ambos mudamos (sim é verdade), que hoje vê as coisas de forma diferente e que sinceramente "acho que nunca ninguem vai ser suficiente boa para voltar a ter uma vida".
E eu podia dizer que estou feliz com isto, podia ser aquele tipo de pessoa que se gaba de ter estes elogios, mas não fico feliz, porque percebo que só me dão valor depois de eu sofrer e me dar por vencida. Só me dão valor depois de me perderem, depois de verem, conforme eles dizem "que é dificil encontrar alguém como eu".
E o meu ego podia subir, podia ficar toda convencida, mas não fico. Tenho noção que tenho muitos defeitos, mas tenho mais noção ainda que quando amo dou muito de mim àquela pessoa, e sei que hoje em dia é raro haver alguém assim.

E além do meu ex marido, também aquele que foi o grande amor da minha vida quis voltar, aliás, até são os dois recentes. Ambos me falaram disso, um a semana passada o outro hoje!
E sinto uma mistura de raiva com tristeza, porque quando dei tudo de mim eles não se importaram se magoaram ou não. Porque quando tivemos algo que valia a pena, não deram valor. 
Não me arrependo de nada do que fiz, mas confesso que magoa pensar nestas coisas. Será que tenho de colocar para trás quem amo, mudar o que sou, não dizer que amo, para ele sentir o que pode perder e querer ficar comigo?

É que eu considero isto joguinhos e sinceramente joguinhos nunca fizeram parte do que sou. Sempre disse o que sinto a quem amo, não tenho medo de amar, não tenho medo de dizer o que sinto, e isso é quem sou... 
Mas começo a achar que tenho de mudar essa parte em mim, dar menos de mim, para que venham atrás!

O ser humano é um ser muito parvo!!!


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Felicidade ou não

"Segue a tua vida, é o melhor"

E a minha resposta foi "estás a pedir que desista de ser feliz, que abra mão da minha felicidade."

E lutadora como sou que vou contra a vida e o que ela me dá para chegar ao que quero, neste momento dizem-me que baixe os braços ao que vejo e sinto, dizem-me para seguir a minha vida quando o que sinto ali é o que sempre quis. E sim, é errado agarrar-me a isso, só me magoo mais, mas custa aceitar que é algo perfeito mas mais uma vez na epoca errada, no tempo errado ou lá o que seja!

E sinto que a vida é injusta, mais do que já achava. Sinto que ela anda a brincar comigo e sinto-me cansada. É uma luta longa demais e pela primeira vez estou a dar-me por vencida e isso está a deixar-me triste ao ponto de não ter de vontade de nada na vida. Não consigo agarrar-me a nada para subir à superfície.
E eu sei que sou forte, sempre o fui, engoli muita coisa nesta vida que a maioria nunca seria capaz, sempre me levantei e segui em frente, sempre fui positiva ao ponto de pensar que amanhã será melhor, "amanhã é outro dia, ergue-te e segue", tantas vezes disse isto a mim mesma.
Mas neste momento não consigo, sinto-me fraca, sinto-me "abatida", sinto que o raio da vida me venceu com as suas artimanhas.

Pela primeira vez estou mesmo a baixar os braços, não porque desisti mas porque não aguento mesmo mais passar sempre pelo mesmo!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A musica

A musica para mim é como um refugio, tenho certeza que não poderia viver sem ela.
Foi sempre ela que me alegrou nos maus momentos tal como me fez chorar, é ela que me "ouve", é ela que me dá alento e me faz esquecer muitas vezes a vida lá fora.
Entrego-me à musica como se cada nota da sua melodia fizesse parte de mim, coloco os phones no máximo e naquele momento apenas existimos as duas!

Por isso tenho sempre musicas especificas para cada fase da minha vida.
Isto vem ao caso apenas e só porque vejo muita gente usar a mesma musica para vários casos amorosos.
Hoje tem namorada x e dedica-lhe aquela musica linda que ele ouve, depois acaba com ela e tem a namorada y e dedica-lhe a mesma musica. Isto faz-me confusão, porque para mim a musica acaba por definir uma parte da minha vida, uma epoca e quando a ouço passado anos revivo aqueles momentos ou aquela fase que passei. Não ia gostar de forma alguma de ter duas musicas para uma mesma pessoa.

Então dou por mim a ouvir certa musica que me dizem "olha esta é bonita", e logo ali elimino a possibilidade que marque aquele momento porque já marcou numa outra altura com um outro alguém, ou apenas a mim mesma.

Nesta minha fase o escolhido (por acaso) foi Bruno Mars, e sei que daqui a uns tempos ou anos ao ouvir aquelas duas ou três musicas me vão fazer lembrar este tempo, que tem tanto de mau como de bom.

E as musicas que marcaram a minha vida, apenas aquelas que estão mais à flor da pele são:

Guns n´Roses - november rain
Além mar - deixa-me olhar
Rui Veloso - anel de rubi
James Morrison e Nelly Furtado - broken strings
The Pogues - Love you till the end
The Swell Season -  The moon
Bruno Mars - Again
Bruno Mars - It will rain
Christina Perri - Thousand Years
Colbie Caillat - You got me

Entre outras, e não saia tão cedo daqui.

Musica que me faz escrever, e faz com que a escrita flua... Pearl Harbor - Tennessee