sexta-feira, 29 de junho de 2012

Bichanice




http://www.tvi24.iol.pt/internacional/espanha-gays-orgulho-gay-corrida-homossexuais-tvi24/1174906-4073.html



E continuo na minha, mas qual orgulho gay? Andamos nós, os hetero, por aí a mostrar orgulho de gostarmos de homens (o meu caso) a fazer estas figuras tristes?
Meus amigos isto não é orgulho gay, tal como diz a Claudia, "é apenas uma bichice, uma mariquice, uma rabetice e todos aqueles nomes feios e preconceituosos que muitas vezes são associados aos gay's."



Orgulho gay é ter os seus direitos, já os ter, e ter a sua vidinha como os comuns mortais.
A mim só me importa que a humanidade seja feliz, seja gay ou não seja, mas isto é uma tremenda palhaçada.


«Eu adoro. Eles são pessoas excelentes. São muito carinhosos e não arranjam problemas com ninguém. E cada um é como é. Se é assim, é porque Deus quis, que vamos fazer?, afirmou uma espectadora. "


???? Oh minha senhora, Deus neste momento está é sentado, com a mão tal qual a estatua "O Pensador" a tentar descobrir onde errou. Deve estar neste momento a questionar-se qual o gene defeituoso que criou esta gente que na minha opinião não é homossexual mas sim bichanada! 


Há uma longa distancia entre uma bicha sem moral e um homossexual.

quinta-feira, 28 de junho de 2012

desafio

Diz-me que trintona és: 

Desafio quem me lê a:

1) Dizer de onde veio o selinho.



http://acasados30.blogspot.pt/2012/06/pois-entao-inventei-um-selinho.html 

2) Publicá-lo no seu blogue, acompanhado da resposta às seguintes e singelas questões:

 - a) Como sonho ser quando tiver 30? ou Como era eu com 30 anos? (consoante a idade de quem responde).



Como tenho neste momento 30 é dificil! Mas o meu sonho era ter uma familia quando tivesse 30, neste momento não tenho sonho nenhum a não ser gozar a vida. Acho que os sonhos acabam um pouco perdidos com o tempo!

 - b) Quais as vantagens e as desvantagens de se ser trintona? (Pelo menos 2 vantagens e 2 desvantagens, mas podem escolher mais, se quiserem).



Vantagens:


_ Muito mais madura
_ Uma visão de vida diferente


Desvantagens


_ Rugas (lol)
_ Enferrujamento das juntas :P

 - c) Que sonhos me falta realizar? (Pode ser o número de sonhos que entenderem).



Não penso muito nisso neste momento.

3) Deixar um comentário a este post, indicando a vossa resposta, para eu poder ir lá espreitar.

4) Passar a vez a quem quiserem.

Passo a quem quiser!

Fashion



Lá porque se diz ou está escrito que vestir algo é fashion isso não significa que façam um papel ridiculo.
Meias e sandálias nunca em lugar algum fica bem ou bonito ou fashion.
Vá aprendam comigo que não duro sempre!

terça-feira, 26 de junho de 2012

A sociedade de hoje em dia



Este video foi feito para chamar mais mulheres à ciência.
Se a ideia era cativá-las para algo bom, a verdade é que neste video só vejo batons, saltos altos, magreza e beleza. Faz-me lembrar um comercial ou publicidade a cosméticos, ou publicidade a um carro ou shampoo.
Esta sociedade que "estamos" a criar assusta-me num futuro muito próximo. Se já exigem e muito das mulheres, serem magras, bonitas, perfeitas, arranjadas, mães, donas de casa, esposas, comerciais como este em vez de ajudar só vai criar ainda mais a ideia de que a mulher seja em que situação for tem de ser "perfeita".
Um comercial como este em que a ideia é chamar jovens para a ciência devia mostrar a realidade, devia mostrar a paixão que é a ciência, devia mostrar as áreas cientificas e o quanto aquele mundo é maravilhoso. Deviam mostrar as saídas que existem. Deviam principalmente mostrar os benefícios desta área, seja na saúde ou noutra área qualquer.




E aqui está uma boa resposta ao video.
Não diria melhor!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Fantasmas versão #25897

Do tempo que tivemos juntos foi rara a vez em que ele pensasse no nós. Tanto que acabamos separados, quando um rema o barco este não sai do lugar.

Ontem em conversa pela primeira vez falou como um nós, um nós que ainda não existe mas que ele (e eu quem sabe, ainda é tudo muito recente e eu quero deixar o tempo decidir as coisas) quer que exista.

Eu: Mas afinal a intenção é isso ser algo bom para ti ou para mim?
Ele: A minha intenção é que seja bom para nós...

O resto da conversa não ouvi.
Pode ser algo básico para muitos mas para mim passado 2anos de separação e 3anos depois de termos começado a nossa história significa muito!

A injustiça que é a morte

Porque nunca a hei de aceitar.

Tenho uma amiga paraplegica que estava à espera de uma resposta de um medico muito conceituado português em operações à coluna, a evolução na medicina trouxe novas esperanças a quem sofreu lesões na coluna e ela é uma das que quer tentar voltar a andar.

Há mais ao menos 1 ou 2 semanas recebeu um mail do médico a dizer que durante o mes de Junho e Julho não ia estar pela clinica, mas finais de Julho inicios de Agosto que a contactava para marcar data.

Hoje ela decidiu ligar para a clinica e recebe a resposta que o Dr. Carlos Lima faleceu de dia 22 para dia 23. Depois de pesquisar na net só se sabe que faleceu em casa, o motivo da sua morte não sabem.

E a vida é isto ou seja nada! Um dia estamos vivos, com planos, com projectos e na hora seguinte estamos mortos.
E a morte continua a afectar-me porque não a consigo aceitar, muito menos quando leva os melhores.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Fosse eu rica e formosa




E trazia estes meninos para casa!!

Volta ao passado

Gostei de relembrar!!
Não me lembro das pastilhas elasticas pretas, mas lembro me de comprar rebuçados e fas à "velhinha" e depois começaram a dizer que tinha droga lol.
Nao me lembro do tuli ter aquela imagem nem me lembro do jogo sabichao porque naquela altura tambem não havia propriamente dinheiro para jogos, os jogos eram na rua com os amigos e hoje em dia nem deixamos os nossos filhos fazer metade do que fizemos :)
As pulseiras, o que eu corri para ter uma, andei a juntar moedas um tempo!!
E hoje eles não sabem o que é isto, e quando chegarem à nossa idade so se vao lembrar do jogo que saiu em x de ano para a psp ou ps3 , ou do "momento" mais badalado da internet, não se vão lembrar do elastico, das cordas, do jogo do mata, do mama da licença, das estafetas... bons tempos :)

E-mail recebido:

Alta viagem ao passado!!!!
...estava eu a pensar, quando, numa tempestade de ideias me lembro que antigamente este chocolate se chamava RAIDER.



A PROVA! eis quando me começo a lembrar de COISAS... As pastilhas pretas que comprava (na velha) e comia às escondidas (porque diziam que tinham DROGA) quando andava na preparatória

Com uma destas

 

comprava uma destas (com os pacotes grandes dava para encher a boca e fazer bolas do tamanho de casas). Claro que as melhores eram as gorila de laranja e as de morango...

 

Os lindos flocos de neve

 

E as chiclets que roubava da mala da minha avó

 

Petazetas para encher a boca e rezar para um daqueles bocados GRANDES não estalasse com muita força (e ficar de boca aberta, claro, caso contrário não se ouvia o barulho!)

 

Estes lembro-me que comia quando ia ao cinema. Os "diamantes" faziam salivar que se fartavam!

 

cantávamos "suguinhos, suguinho, colam-se aos dentinhos!" (meter um de cada sabor na boca ! hmmmm!)

 

A bela "bomboca dji morango", que ainda hoje quando a encontramos compramos logo uns caixotes!

 

No lanche da primária, mas principalmente na praia; pegava na palhinha do capri-sonne DE MAÇÃ, e já com a mania que era rebelde, espetava-a na parte de baixo do pacote! YEAH!

 

E as festas? Lições 100? Havia sempre 1 que levava as tortas Dancake. Se fosse de chocolate, era um instantinho a desaparecer, se fosse de morango, demorava um bocadinho mais, mas também marchava, agora se fosse aquela de baunilha...

 

Qual mp3, quais gigas! As belas mixtape gravadas da rádio, ainda com restos da voz dos parvos dos apresentadores dos programas que insistiam em falar por cima da música!

 

E este? Quem teve? Era o delírio, com os discos de imagens. Eu não tinha muitas, mas as histórias que inventava com aquilo eram sempre diferentes.

 

eh pá! Tulicreme! E ainda antes de terem inventado o parvo do urso! O de cacau era maravilhoso, o de avelã bem podia ficar na prateleira do supermercado.

 
E estes? Lembram-se onde saíam?

 

Tive um macaco destes. Tinha um buraco na boca e supostamente chuchava no dedo. Claro que o meu era muito mais giro. E não tinha este pescoço de indio que mete argolas para o esticar.

 

"Toma lá, e não gastes tudo em gomas!" - Ouvi muitas vezes também.

 

Atiravamos com isto para todo o lado. Até ficarem todos sujo, cheios de pêlos e cotões e pó e cabelos (sim, ficavam, não podem negar!) Mas era fantástico porque depois, só com um bocadinho de água e sabão, ficavam outra vez reluzentes e prontinhos para voltarmos a atirá-los aos móveis, ao tecto, ao chão, á cabeça dos nossos colegas...:P

   
e as modas? esta era mesma parva. E feia. Mas na mesma percorri kms para a encontrar e comprar.
  
Este gajo a mim irritava-me."O sabichão"... Com a mania que era esperto! Comigo não se safou, que eu virei-lhe a vareta de modo a dar as respostas todas erradas. TOMA!

 

"Pró natal, o meu presente, eu quero que seja..." A minha agenda e o Natal. Isto só me faz lembrar do Natal dos Hospitais e de quanto eu queria pertencer ao Coro de Sto Amaro de Oeiras.

 

Também tive uma destas. Saltei tanto com ela que de tanto roçar no chão, a bota ficou com uma boca...

 

Os estojos do poder. Com botões. Com compartimentos secretos para guardar as folhinhas e as borrachas de cheiro. Eram excelentes. Não faziam barulho como os estojos de lata, mas em comparação eram enormes.Eram mesmo bons para levar naquelas mochilas de 50 litros que nos fizeram escolioses.

 

E no verão... o frigorífico cheio de fás, que nós chupávamos até o gelo ficar sem cor.

 

Bem, que viagem.  

terça-feira, 19 de junho de 2012

Escrever

Estou a precisar de escrever, mas escrever algo sem ser futilidades. Preciso de escrever para limpar o que aqui vai e me anda a abafar há uns tempos.
O blog tornou-se tão "conhecido" que me custa vir desabafar algumas coisas, não porque não fossem entender mas porque ao saberem dos meus pensamentos mais profundos deixaria de ser algo intimo e ser algo partilhado e isso nao quero.
Uso a escrita como uma limpeza à alma, deixo ao cargo dos meus dedos a descarga que a minha mente faz ou precisa de fazer, e muita vezes venho e leio o que escrevi e vejo que na escrita tenho a resposta que tanto procurava.
E estou a precisar de um momento desses!

Os fantasmas continuam na minha vida, aquele fantasma que um dia foi o grande amor da minha vida, aquele que por muito que tente esquecer nestes dois anos passados. A verdade é que não consegui esquecer, e ele volta, sem hora nem data marcada, esteja eu numa relação ou não, ele acaba por aparecer.
Percebi que tinha de dar um tempo a mim mesma, percebi que tinha de aceitar que talvez nunca mais o esquecesse, afinal de contas ele foi o melhor de mim, foi o unico até hoje que me fez baixar uma pequena muralha que tinha em minha volta. Foi ele que me ensinou a gostar de mim mesma, foi ele que me subiu a auto estima quando não tinha nenhuma. Foi ele que me fez sentir amada como nunca tinha sido, daqueles amores impossíveis de explicar, porque há coisas que não se explicam, há coisas que por mais que pensemos não conseguimos proferir uma palavra para o explicar ou justificar. E o nosso amor era isso!
Mas o amor não vence tudo, e o nosso não venceu.

Quando tudo terminou senti-me um ser pequenino, como poderia eu viver sem aquela metade que era tão minha? Como poderia eu amar de novo assim? E como poderia eu amar de novo alguém sem medo como o amei a ele, principalmente depois de magoada?

Mas consegui superar, enchi-me de coragem, prometi naquele dia não chorar mais e assim foi até hoje. Não verti nem mais uma lagrima por ele, ergui a cabeça e segui a minha vida como tinha de ser. Sai do fundo de um poço, nunca pensei lá cair um dia mas tinha caido, mas da mesma forma que cai descobri como trepar. Mas como em tudo na vida enquanto trepei o poço sofri arranhões que me mudaram, que me fizeram ganhar uma carapaça dura de quebrar, uma carapaça para me proteger de tudo e de todos.
Afastei-me das pessoas, coloquei-as a um passo de mim, coloquei-as perto o suficiente para serem minhas amigas e companheiras mas longe o suficiente para não me magoarem, e até hoje não consegui entregar-me por completo a ninguém. Seja nas amizades, seja nos amores vindos entretanto.

Como é logico esta carapaça trouxe um pouco de egoismo e trouxe um pouco de frieza, trouxe uma pessoa que luta pelo que quer mas que ao mesmo tempo quando ve que nao querem se afasta ao primeiro passo. Deixei de pedir que gostassem de mim, deixei de pedinchar por amizades que muitas vezes nem reais eram. Guardo em mim os importantes e para mim chega.
Com isto aprendi a viver sozinha, aprendi que não preciso de ninguém para ser feliz, aprendi essencialmente que não preciso de ninguém apenas e só porque me sinto sozinha. E isto trouxe tanto de bom como de mau. O bom é saber que não dependo de ninguém para me sentir completa, o mau é a frieza que acompanha este sentimento. Cheguei a um ponto que parece que nada importa, "queres ir embora vai!" seja em que situação for. Claro que antes luto para que dê certo, mas quando vejo que não vale a pena a luta e que a pessoa não quer mesmo não teimo e deixo a pessoa ir embora.
Toda a gente passa na nossa vida por uma razão, se não ficou é porque não tinha de ficar e eu decidi seguir a minha vida conforme o destino que Deus reservou. E quem fala de Deus (porque tenho um tanto ao quanto de duvidas da existencia dele) fala de outro ser maior qualquer.

E isto tudo para chegar ao quê. O fantasma voltou, porque ele quis, porque eu quis, porque decidimos voltar a falar. E descobri que o fantasma ainda sente e pensa em mim, sempre pensou. E o fantasma olha para mim como no primeiro dia, aquele dia que nos apaixonamos há tres anos atrás. E o fantasma diz que sou a mulher da vida dele, sempre fui, e não o faz em palavras, faz em actos. E o fantasma tem feito de tudo para que voltemos a tentar, e eu até não me importava mas a minha frieza não deixa. Sai de uma relação há pouco tempo, de uma relação onde me esgotei de novo, de uma relação onde fui deitada abaixo como nunca antes. Uma relação onde não me deram valor e eu devia ter visto isso a tempo, mas não vi e deixei-me andar como sempre faço.
Quando vi, quando decidi abrir os olhos pu-lo a andar, mas cá dentro ficaram as marcas de 7 meses perdidos, de 7 meses desgastantes.
E eu neste momento até queria que o tempo voltasse atrás e fosse como há tres anos, queria poder olhar para ele como olhei, e queria baixar esta carapaça e ser feliz porque sei que ele está a esforçar-se por mostrar que mudou, mas não consigo.
Preciso de tempo, preciso curar, preciso descansar e depois sim vejo se o que ainda sinto por ele é verdadeiro e não saudades de um tempo que não volta.
De uma coisa eu tenho certeza, ele nunca daqui saiu.... nunca! Mesmo eu tentando fugir, mesmo tendo deixado de falar com ele... mesmo quando decidi seguir a minha vida! E tentei enganar-me a mim mesma vezes sem conta e sempre sem resultado.

E depois de reler este texto continuo na mesma, confusa e com a unica certeza que o tempo me dirá as respostas que tanto procuro.
O fantasma? Diz que se esperou por mim 2 anos espera mais um tempo.
Eu? eu disse-lhe que não perdesse a vida dele, seria injusta ao pedir que esperasse porque não sei que tempo preciso, nem sei se a resposta no fim será a que ele quer ou não, por isso não o podia prender.
A resposta é a mesma, está preparado para tudo e espera, e eu podia ficar feliz com esta resposta, há tres anos ficaria feliz, mas não consigo, porque não sei mesmo o que quero neste momento, a não ser paz, sossego e tempo para curar as feridas causadas pelas quedas.

Fashion bloggers

Cada vez há mais, e hoje encontrei um que tinha um conjunto muito bonito.
Começo a cuscar o blog numa de ver tendências e afins e percebo que... ver um fashion blog de uma miúda de 16 anos dá em ver cuecas com bonequinhos, pijamas com figuras da disney, t-shirts bershka da secção adolescente! Perdi logo o interesse no blog.

Eu ainda tenho 1 ou 2 pijamas com bonecos, deram-me e dá para andar por casa, porque na realidade ando mais virada para coisas mais simples!




segunda-feira, 18 de junho de 2012

Facto #5

30 anos de sapatilhas, aos 30 anos mudar de calçado e começar a usar, sabrinas, bota rasa, sapatilhas.

Facto:

- A andar com sapato raso ou bota rasa pareço uma pata, porque a sapatilha é alta e habituei-me a ter o passo largo e pesado. Ou seja passo pesado não combina com sabrinas.

- A dor nas costas confirmam o que digo.

Sou tão fashion

http://www.devilwearslouboutin.com/2012/06/outfits-beige-palazzo.html

Afinal sou fashion e não sabia!!

Tenho uma camisola igual e gosto tanto dela que é a unica que lavo à parte de toda a roupa e quando a estendo uso um cabide (cruzeta para os meninos do sul, não é Lucas?!)


domingo, 17 de junho de 2012

Da ex do meu amigo

A ultima é ela mandar mensagem a dizer "vou fazer queixa de ti à GNR a dizer que me violaste"

Eu nem tive resposta possivel para dar ao meu amigo. Estou parva como uma miuda de 25 anos reage como uma de 14.
Estou parva de todo. So porque a relaçao acabou chegar a isto!!!

Adquiridos

Há pessoas que dão os namorados ou maridos\namoradas ou esposas como dados adquiridos, e prendem-se ali como se aquela pessoa fosse um objecto só seu, que lhe pertence. E rodeiam a pessoa, abafam-na ao ponto de saturar.

Nada nem ninguem é de ninguem. Nenhum homem ou mulher é nosso só porque casamos ou namoramos com ele. A unica coisa que podemos dizer que é nosso são os nossos filhos, os nossos pais, a nossa familia, mas até eles nos podem virar as costas um dia. Por isso no fundo nada neste mundo é realmente nosso.
Há uma frase muito boa que diz "nascemos sozinho e morreremos sozinhos", por isso temo-nos a nós mesmos, esse sim é o nosso dado adquirido.

Tenho um amigo que acabou com a namorada há 3 semanas mais ao menos, ela não aceitou o fim da relação e tem vindo a chateá-lo todos os dias com sms, com telefonemas, com chantagens onde usa o filho que é só dela, com ameaças. Ele mostrou-me as mensagens e juro que aquilo parece algo de alguém muito doente.
As sms rondam o "volta para mim por favor que vou mudar, dá-me uma oportunidade de te mostrar que mudo", rondam "ou voltas para mim ou vou parar ao magalhaes lemos ou mato-me", rondam "o miudo nao para de falar de ti, se voltar a falar vou-lhe bater e a culpa é tua", rondam "e se eu estiver grávida? ".

Esta do grávida só provou o que eu pensava, ela é do tipo de rapariga que acredita que engravidar prende um homem, e usa os filhos para esse fim.
Ela faz deste meu amigo um trofeu, um bem adquirido que é dela e que ninguém pode chegar sequer perto, tanto que chegou ao ponto de fazer dele uma recompensa numa competição parva que nem eu entendi.

E eu pergunto-me onde andam estas raparigas com a cabeça para se rebaixarem a este ponto, para ameaçarem alguém só porque a vida afinal não é perfeita e não corre como queremos.
E a minha vontade é abana-la e dizer-lhe que nesta vida tudo se aprende e que está na altura de ela aprender que nada é nosso e que se alguém saiu da nossa vida é porque tinha de ser e não é a forçar que as coisas voltam.
Queria dizer-lhe que eu aprendi algo com todas as quedas, aprendi que o que é nosso à nossa mão vem parar, dê o universo a volta que der, fujamos nós por caminhos diferentes, o nosso destino está traçado.

E se alguém passou pela nossa vida, ou se cruzou connosco, é porque tinha de ser, e se pensarmos bem nisso, aprendemos sempre algo novo e mudamos um pouco com a passagem dessa pessoa.
Quando olho para a minha vida, e procuro respostas, é com isto que dou... todas as pessoas que passaram por mim ensinaram-me algo, fizeram-me crescer, fizeram-me encarar a vida de uma forma diferente.
Neste momento eu não prendo ninguém, eu deixo que o tempo resolva as coisas, eu espero que o que é meu venha ter comigo, porque sempre que fui ter com o que quis e forcei as coisas nunca correu bem!

E enquanto se deixa o tempo resolver as coisas, há que aproveitar e gozar o pouco tempo que temos neste mundo!

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Infancia

Acabei de ler num blog que a leitora quando era miúda era uma maria rapaz, e pus-me a pensar, a diferença que poderá existir entre uma maria rapaz e aquela menina que é tão menina que só brinca com barbies!

Eu fui uma maria rapaz, assumidissima, e ainda hoje me dou melhor com os homens que com as mulheres.
Menos complicados, mais amigos, acho que aquela teoria de que os homens não complicam a vida torna-os seres mais divertidos nas saidas e nas festas! Mas apenas e só quando são amigos, porque quando deixam de o ser e começam a pensar com outra cabeça estragam tudo.

Então pus-me eu a imaginar uma menina, que só brinca com barbies, que quando cresce é toda nariz empinado e não faz grande coisa da vida a não ser olhar-se ao espelho. Que diversão teve esta menina na infancia? Brincar aos pais e mães? Com nenucos? Com kens e barbies e afins?

Ora vejamos:

- Eu juntava-me aos meus vizinhos do lado, dois rapazes gemeos, e jogava à bola com eles, faziamos corridas a ver quem chegava primeiro a casa, faziamos corridas a saltar os muros das casas da nossa rua a ver quem chegava primeiro ao ultimo muro.
- Jogava ao berlinde com os rapazes da escola
- Quando havia fisica e o professor perguntava que queriamos fazer a minha resposta era futebol, basket ou andebol (adorava andebol ainda pedi à santa da minha mãe para me deixar fazer mas a resposta já era sabida como não)
- Fazia colecção com o meu irmao de cromos de futebol e andava a troca-los na escola
- Andava de bicicleta com os meus vizinhos, e aprendi a andar sozinha de bicicleta, cai muitas vezes mas levantei-me delas todas, e teimosa (como ainda sou) qual desistir qual que? quem cai levanta, e aprendi a andar!
- Jogava jogos com os meus primos
- Onde estava um grupo de rapazes, fossem amigos ou colegas de escola ou primos lá estava eu lá metida.
- A minha brincadeira favorita era juntar folhas, procurar bichos sapateiros e caracois e fazer-lhes uma "casa" com as folhas.

O mais perto que brinquei como menina, foi às cordas e ao elastico.
E roupa? Qual saia qual quê? Era t-shirt, calçao (quase sempre no verão), fato treino no inverno, e sapatilhas!
Lembro-me de uma vez a minha mãe andar aos berros pela casa porque me queria vestir um vestido, e eu a fugir dela enquanto berrava (vestidos nãaaaooo), entãos e fosse sapatos, eu dizia não, o meu pai dava-me uma chapada e lá ia eu de sapato a chorar a dizer o caminho todo (doi, doi, doi).
(ainda falo eu da minha filha)

Não me lembro de brincar com bonecas, lembro-me sim de andar sempre esmurrada.
Lembro-me de uma vez decidir molhar os meus vizinhos com a mangueira, eles terem fugido, e só perceber quando estavam a tocar à campainha. Era um velhinha toda molhada, a fazer queixa de mim à mae da minha amiga porque a molhei! Agora rio-me, naquela altura não sabia onde me enfiar!

Lembro-me de cair de bicicleta, um senhor me levantar, dizer que eu não tinha nada, eu olhar para o joelho e "não tenho nada? acha que não tenho nada?" e lá me pus a correr para casa, sem bicicleta, joelho aberto, a minha mãe passada a chamar o meu tio para me levar ao hospital. Berrei com a enfermeira, chorei, levei um estalo da enfermeira na perna, calei-me e lá levei 7 pontos, sem um ai sequer.

Num proximo post falo das minhas aventuras, como rachar a cabeça, cortar um dedo, partir candeeiros com as maos, ser mordida por um cão, ser atropelada etc. Falarei das cicatrizes, coisa muito interessante como se ve.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

De rir ou chorar

Gajo casado volta às mensagens deprimentes.

Ele: que tens vestido?
Eu: roupa
Ele: interior
Eu: roupa interior
Ele: como é?
Eu: roupa
Ele: Diz-me
Eu: Digo
Ele: estou à espera
Eu: quem espera sempre alcança já dizia o ditado
Ele: porque? isso quer dizer o que?


Alem de parvo é ignorante, e eu perco a paciencia facilmente!

terça-feira, 5 de junho de 2012

Fantasmas versão 25896#

Ele: Essa pulseira no braço ainda é aquela igual à minha que está no bolso das calças?
Eu: Não sei, esta já a tenho há uns anos (eu a tentar disfarçar a coisa)
Ele: Então ainda é a mesma, a minha rebentou das idas à agua (mergulhador, caça submarina) mas tenho-a no bolso.

Estas pulseiras foram compradas em Viseu se não me engano, se não foi em Viseu foi no Senhor de Matosinhos.
Fizemos uma troca de pulseiras que valeram mais do que alianças, cada pulseira com 3desejos, 6 no total. Ainda me lembro dos meus desejos, claro que não acredito que se realizem, alem disso supostamente a pulseira tem de rebentar e ser deitada ao mar, dizem os entendidos na coisa.
Eu não quero que a minha rebente, está aqui há quase 2 anos e quero que continue a estar, relembra-me um dia feliz e os dias felizes são para recordar até morrer.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

trabalho

Como em todos os locais de trabalho, pelo menos onde trabalhe um grande numero de gente há sempre um ou outro lambe botas que sobe lá dentro com factor C, ou então pela graxa desmedida!

No meu não é diferente, mas além de lambe botas esta pessoa é de uma falsidade e cusquice que dá dó a qualquer um. Comigo já nem tenta saber nada que percebeu que não leva nem um ai do que seja.

Há uma ou duas semanas essa mesma pessoa estava toda preocupada (falso) com a tal rapariga que uma vez falei aqui, que o marido a deixou. Preocupada como quem diz não é. Pos-se com perguntas e mais perguntas à rapariga, enquanto lhe punha a mão na dela e dizia "vá a vida é para a frente".
Mal ouvi esta treta decidi que tinha de sair dali, a minha impulsividade é perigosa!

Hoje a tal rapariga (que ficou sozinha com 3filhas) pediu se alguém lhe dava boleia até à escola da filha porque a mesma estava doente e tinha de a ir buscar e não tinha como.
Como os motoristas não estavam decidiram pedir o favor a essa tal lambe botas.
A lambe botas decidiu avisar a chefe de que tem de a levar à escola e tal, enquanto a chefe pergunta o porquê e se é tão urgente assim, etc.
A lambe botas responde "sabes ela pensa que isto é a casa da mãe Joana", o que ela não contava era que a rapariga estava ao fundo das escadas e a ouviu falar.
Claro que a rapariga apenas disse "diz à fulana de tal que eu me fui embora e ouvi a conversa toda".

Ainda bem que ouviu, pode ser que quando disserem que a lambe botas é boa pessoa percebam que afinal aquilo é tudo falsidade, e a preocupação dela com as pessoas não é preocupação é querer saber para espalhar, por algum motivo a alcunha é "jornaleira".

É triste haver gente assim!

Golpe Baixo

Golpe baixo é numa saida normal, para um lanche normal com amigos, usarem aquele perfume que me tirava do sério há anos atrás.
Golpe baixo é ao sentir aquele cheiro me lembrar dos dias bons, da quantidade de vezes que:

- eu dormia com a almofada dele para sentir o cheiro do perfume
- de manha lhe roubava um pouco do perfume para colocar na pulseira (que ainda tenho no braço) para passar o dia com o cheiro dele perto
- das saidas pela praia em que o abraçava e memorizava o cheiro para quando ele se fosse embora sonhar um pouco

Aquele perfume ontem fez-me relembrar o quanto fui apaixonada e o quanto gostei dessa fase da minha vida.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Conversas

"ah e tal o meu filho esta melhor mas as notas essas continuam na mesma, viemos a descobrir que ele anda com más companhias mas isso não se justifica"

Eu: "claro que justifica (diz-me com quem andas dir-te-ei quem és) eu também andei com 2 amigas na escola que me incutiram experimentar fumar e depois faltavamos às aulas e eu comecei a gostar disso porque era divertido, por isso as companhias dizem muito de uma criança"

Resposta: "oh mas tu não és exemplo, tu fazias isso para chatear os teus pais, era a tua revolta e a unica forma de te "vingares" do que te faziam era seguir esse caminho"

Já disse que detesto que ele me conheça tão bem??? Rais parta o gajo!