sexta-feira, 27 de julho de 2012

Eu e as coisas da vida

Sim preocupo-me demais com a vida e as suas injustiças e incógnitas.
Há quem se preocupe com modas e há quem como eu se preocupe com o "mundo", ninguém é perfeito.

Ontem de manhã apanhei a minha vizinha de baixo a chorar, mas um choro aflito, passei por ela e perguntei-lhe se estava bem e se precisava de algo ao qual me responde "o meu marido teve um AVC e os médicos não dão nada por ele".

Fiquei sem palavras, tinha visto o homem na segunda e bem de saúde! E nisto lembrei-me do meu ex sogro de como um AVC o levou da forma mais macabra possível, e pior ainda, alguém que não merecia.
E quando ela me diz "foi de um minuto para o outro" relembrei-me do meu pai, de como às 19h o meu irmão me dizia que ele estava com uma gastro e às 5.00 da manhã me liga em altos berros a dizer que ele tinha morrido.

A vida não é nada, e quanto mais velhos ficamos (embora só conte com 30 anos) percebemos que não vale a pena perder a vida com merdinhas de nada que só nos consomem.

3 comentários:

Ana M disse...

Como eu concordo contigo. Temos é de aproveitar todos os minutos que temos, com quem mais gostamos, porque nunca sabemos quando vai ser a ultima vez :/ Beijinho

eu disse...

Tens muita, muita razão. Um beijinho.

Marciana disse...

Eu nem gosto de pensar em doenças nem mortes. Fico completamente deprimida.