quinta-feira, 26 de julho de 2012

Facto #6

Ando a fazer contas à vida, a vida deu uma volta (nada que não se prevê-se mais cedo ou mais tarde) e vejo-me às aranhas a fazer contas e a ter "2" trabalhos para ajudar a ter as contas em dia.
Posso dizer que há gente em pior situação que eu, há, mas não sou o tipo de pessoa que pede ajuda facilmente, primeiro luto e depois vejo, e neste momento a luta é que o dinheiro mensal chegue para as contas da casa visto ser só eu e a minha filha.
E no meio deste pensamento lembrei-me da  santa da minha mãe...
Muita gente recorre aos pais numa altura como a que eu estou, e embora seja contra isso porque acho que nos devemos arranjar sozinhos primeiro e só pedir ajuda depois, a verdade é que a minha mãe podia ajudar em algumas coisas... mas eu não quero. Não por orgulho, não porque acho certo ou errado mas porque sei que a resposta seria não, e sei que se fosse sim iria andar a dizer pela frente "sim pega lá" e por trás andar a dizer que sou esta e aquela que me ajudou e fez e aconteceu e isso NUNCA!
Além disso ela é aquela que tem dinheiro para ter uma vida boa até morrer mas vai ao banco alimentar buscar comida porque "os 180euros de reforma não chegam para me alimentar"!

O egoísmo puro existe numa pessoa que se dá pelo nome de minha mãe. É triste.
Quanto a mim... melhores dias virão... e um dia tudo passa!

Aprendi foi uma grande lição... não ajudar ninguém que não mereça a nossa ajuda, pelo menos em questões monetárias, porque estraguei dinheiro a ajudar pessoas que nem valor deram nem dão.

2 comentários:

Quase nos "entas" disse...

Em primeiro lugar lamento imenso essa situação da tua mãe...é pena...já não falo do apoio financeiro...mas o apoio de mãe....
pena
Quanto ao trabalhar para manter as contas em dia...sozinha... dou-te todo o valor...sei como é
FORÇA

mundoameuspés disse...

Como te compreendo!