sábado, 19 de julho de 2014

5 # Carta para os teus sonhos

Queridos Sonhos, isto é uma maneira muito parva de começar a escrever algo, e passado tanto tempo escrever logo isto, as pessoas vao achar que queimei a molecula de vez... o que até é verdade.

Mas continuemos...

Querido sonho, sonho contigo desde cedo, há quem sonhe com filhos, casas, carros, objectos, futuro, dinheiro, carreiras de sucesso... eu sonho contigo apenas contigo. Algo tao simples, tao facil, tao incompreensivel para muitos.

Viajar.... algo que muitos não entendem, e que eu apenas penso e sonho.

Se fosse homem, se fosse livre, se, se, se... se fosse isto tudo faria como Christopher McCandless e deixaria tudo para trás. 

Querido sonho, odeio esta vida de regras, que gira em volta do dinheiro, em que te sentes num mundo livre, mas depois percebes que estás preso a uma rotina, a uma vida, a uma relaçao, aos filhos. E depois pensas que os filhos crescem e um dia gozarás tudo, um dia sairás de mochila ás costas pelo mundo, conhecerás novas culturas, novas pessoas, novos cheiros, novas sensaçoes, novas cores.
Ajudarás em Africa ou na India, ou em ambos os lados. Subirás ao mais alto edificio do mundo e verás um monte de gente pequenina e atarefada e pensarás que ali em cima tudo é calmo e sereno.
Visitarás o grand canyon e perceberás como o mundo é enorme, como a natureza é a mãe de tudo, e sentir-te-ás pequenino.
Aprenderás novas linguas.
Visitarás lugares como o ground zero ou auschwit e todo o peso das recordaçoes daquele lugar te cairão em cima, e irás perceber que a vida é para se viver, e que há pessoas que sofreram tanto e por coisas sem sentido, e ai daras valor ao pouco que tens, mesmo que seja apenas e so aquela mochila que trouxeste de casa quando puseste pés à estrada.

Querido sonho, ninguém te entende como eu, porque ninguém o sente como eu sinto.
E um dia, um dia ganharei coragem... soltarei as amarras e partirei. Um dia não serei cobarde, nao serei medrosa, e darei o primeiro passo de muitos.
E se esse dia nunca chegar, sei que irei morrer com um grande peso chamado medo.

Querido sonho... um dia serei apenas eu e tu! 





Sem comentários: