quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Unicornios

"mãe, quero um quarto de unicórnios e cor de rosa"

A minha mais velha tem uma imaginação muito fértil, embora haja muitas meninas que com 10 anos já sejam umas "senhoras" a minha ainda vive muito no mundo da fantasia.
Há dias que me preocupa, depois há outros que penso que terá o seu tempo para crescer. Penso que com o nascimento da mais nova isto mudará.

Quando lhe mostrei fotos de quartos com unicórnios veio-me com ideias de coisas muito à bebé ou muito infantil para a idade dela. Ponderei se faria como ela queria, e como pensaria ela daqui a um ano visto nesta fase elas mudarem muito rápido de pensamento.
Então decidi fazer algo que ela queria, mas já com um aspecto já a fugir para a pré adolescência. Rosas, aplicações de unicórnios, mas sem exageros.
Nesta casa também não tenho grande vontade de decorar, visto não ser minha e muito sinceramente não me sinto minimamente em casa. Por isso aos poucos vou fazendo algumas coisas que sei que posso levar para outra casa que venha a ter.
Ainda muito provisório, segue em baixo as fotos.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

24 semanas

Da primeira gravidez, já lá vão 10 anos, eu tinha um blog onde escrevi tudo.
Os medos, ansias, consultas, tenho tudo ali escrito e agora acho um piadão ir lá ler.
Desta não tenho nada... aquela teoria que o primeiro filho é de ouro o segundo prata começa a fazer sentido.
E tenho um sentimento de culpa por não escrever nada sobre ela, porque sei que um dia vou querer comparar as duas e não haverá como o fazer!!
A unica diferença é que desta tiro uma foto todas as semanas, ok aldrabei algumas semanas, mas tenho um apanhado de quase todas as semanas até ao dia de hoje. Da primeira nem maquina fotográfica eu tinha quanto mais tirar fotos.

Mas basicamente, fizemos 24 semanas no domingo.

Mau:
As dores nas pernas e pélvis tem complicado o dormir e o caminhar.
Além disso tenho tido umas cólicas ao ponto de ter de parar o que estou a fazer e esperar que passe.
Já me sinto super cansada e enorme, a alimentação não tem sido a melhor e o sentimento de culpa que a acompanha não ajuda.
Sono, sono e sono... é uma constante.

Bom:
O pai voltou a sentir a Inês hoje (14/12), tivemos os dois oportunidade de a ver mexer cá fora.
Comparando esta gravidez à da Diana penso que esteja a ser mais fácil, mesmo com todas as condicionantes. Mas visto desta andar sempre atarefada e da dela não... acho que me estou a safar para já.




segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Distancia

O pai foi embora, de novo. E as despedidas cada vez custam mais.
Quando decidi seguir a gravidez para a frente tinha perfeita noção dos riscos, das dificuldades e tinha perfeita consciência que caso o pai decidisse que não queria, eu iria ser mãe solteira, iria estar sozinha, e estava preparada para isto tudo, ou achava estar.
Mas depois o pai percebeu que estar connosco fazia sentido, mesmo não sendo o melhor nesta altura, percebeu que ser pai não era um bicho de sete cabeças.
Percebeu que enquanto a barriga cresce cresce também o amor que ele sente por esta "surpresa", e no momento em que percebi que o iria ter na minha vida, e que o nosso amor fazia sentido e decidimos juntos lutar por esse amor, percebi também que todas as certezas que iria aguentar esta fase sozinha estavam a cair por terra.
Não o sinto no dia a dia, sinto-o muito no momento em que o levo à camioneta e há a despedida. E nesse momento o meu coração contrai, as lágrimas caem sem forçar, e sim sinto-me sozinha.
E penso em tudo o que gostaria de partilhar com ele, que partilho, mas não da mesma forma. Queria que ele tivesse visto a primeira vez que a Inês (sim é o nome da nossa surpresa) deu um pontapé e toda a minha barriga gelatinosa se mexeu. Queria que tivesse sentido o primeiro pontapé "cá fora" no mesmo dia que eu senti, ali a meu lado, mas não foi possível.
E todos os dias luto com isto da distancia, dias há que fico farta e cansada, outros há que penso que tudo há de dar certo um dia e teremos a nossa vida como desejamos. Mas até lá, há que limpar lágrimas, remoer saudades, dizer "amo-te" a 300km de distancia, e esperar sempre pelo próximo dia que estaremos juntos.